21:30 24 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    542
    Nos siga no

    As forças de defesa aérea da Arábia Saudita interceptaram foguetes lançados pelo movimento Houthi contra instalações petrolíferas pertencentes à companhia de petróleo Saudi Aramco.

    Os ataques teriam ocorrido na semana passada e foram revelados pelo jornal Wall Street Journal (WSJ) na quarta-feira (29), citando fontes entre as autoridades sauditas. A Saudi Aramco se recusou a comentar o assunto, segundo o jornal.

    A Arábia Saudita e os Estados Unidos culparam o Irã pelo ataque devido ao apoio de Teerã ao movimento houthi no Iêmen, informou o WSJ, acrescentando que os iranianos negaram envolvimento no incidente.

    Na quarta-feira, os houthis divulgaram um comunicado no qual assumiam a responsabilidade por um ataque com mísseis contra instalações de petróleo, bem como à base militar saudita perto da fronteira com o Iêmen, dois aeroportos nas cidades de Abha e Jazan, no sudoeste da Arábia Saudita, e outros "alvos sensíveis profundamente no território saudita". O movimento, no entanto, não especificou quando o ataque ocorreu.

    Os ataques de drones às instalações da Saudi Aramco em setembro de 2019, que também teriam sido realizados pelos houthis, resultaram em sérios danos às instalações, queda na produção de petróleo do país e um aumento nos preços globais do petróleo.

    Mais:

    No 1º dia na bolsa, Aramco se torna empresa mais valiosa do mundo
    Houthis afirmam ter alvejado instalações da Saudi Aramco em Jizan
    Arábia Saudita condena envio de tropas turcas para Líbia
    Houthis dizem ter 9 alvos definidos na Arábia Saudita e Emirados Árabes
    Arábia Saudita diz que cidadãos israelenses não podem visitar o país: 'Não temos relações'
    Tags:
    The Wall Street Journal, Houthis, Iêmen, Irã, Saudi Aramco, Turquia, Arábia Saudita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar