00:14 15 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    30581
    Nos siga no

    Pentágono informa aumento no número de vítimas dos ataques iranianos. Anteriormente, Trump havia minimizado os ferimentos de seus soldados, alegando serem "dores de cabeça, nada grave".

    Na terça-feira (28), o Pentágono declarou que 50 indivíduos a serviço dos EUA foram diagnosticados com traumatismo cranioencefálico, em consequência dos ataques perpetrados pelo Irã contra a base aérea de Ain Al-Asad, no Iraque, no início do mês.

    "Até agora, 50 indivíduos a serviço dos EUA foram diagnosticados" com traumatismo cranioencefálico, informou o porta-voz do Pentágono, tenente-coronel Thomas Campbell.

    Os sintomas de concussão cerebral incluem dores de cabeça, tontura, fotofobia e náusea.

    Trinta e um dos indivíduos diagnosticados receberam tratamento no Iraque e já voltaram ao trabalho, assim como um indivíduo que recebeu tratamento no Kuwait. Dezoito indivíduos foram enviados para a Alemanha para a realização de exames complementares.

    "Trata-se de um retrato deste momento. Os números podem mudar", lamentou Campbell.

    Anteriormente, o Pentágono havia informado que 34 nacionais dos EUA ficaram feridos como consequência dos ataques.

    Soldados americanos passam por danos em local de bombardeio iraniano na base aérea de Ain Al-Asad, em Anbar, Iraque, 13 de janeiro de 2020
    © AP Photo / Qassim Abdul-Zahra
    Soldados americanos passam por danos em local de bombardeio iraniano na base aérea de Ain Al-Asad, em Anbar, Iraque, 13 de janeiro de 2020

    Dos 16 novos casos anunciados ontem, 15 foram tratados no Iraque, informou o tenente-coronel.

    Na semana passada, o presidente dos EUA, Donald Trump, foi alvo de duras críticas por ter minimizado a gravidade dos casos, dizendo se tratar de "dores de cabeça, nada grave".

    O comandante nacional de Veteranos de Guerras Estrangeiras, William Schmitz, reagiu aos comentários de Trump, reportou o The Guardian.

    "[O grupo] espera que o presidente peça desculpas aos nossos homens e mulheres em serviço pelas suas declarações errôneas", declarou Schmitz. 

    De acordo com dados do Pentágono, desde o ano de 2000, 408.000 militares norte-americanos foram diagnosticados com traumatismo cranioencefálico.

    Os ataques à base aérea de Ain al-Asad foram realizados pelo Irã, em retaliação ao assassinato do general Qassem Soleimani, morto durante operação especial dos EUA, em 3 de janeiro de 2020.

    Mais:

    Irã quer usar criptomoedas para derrotar Trump, relata mídia
    Daesh estaria aproveitando tensões entre EUA e Irã para intensificar ataques
    Irã prepara lançamento de satélite, mas EUA suspeitam se tratar de mísseis balísticos
    Tags:
    base aérea, Irã, Iraque, ataques, Qassem Soleimani, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar