09:50 15 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7273
    Nos siga no

    Na semana passada, o representante especial dos EUA para o Irã, Brian Hook, ameaçou assassinar o sucessor do eliminado chefe da Força Quds do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, Qassem Soleimani, se americanos fossem atacados.

    Comandantes das forças americanas e seus aliados não estarão protegidos de retaliação em qualquer lugar do mundo se a administração de Donald Trump continuar ameaçando chefes militares iranianos, advertiu o major-general Hossein Salami.

    "Os americanos, sionistas e outros devem saber que nenhum dos seus comandantes estará seguro se eles ameaçarem comandantes iranianos [com] assassinato", disse Salami citado pela agência de notícias iraniana Tasnim.

    "Aqueles que ameaçaram nossos comandantes com assassinato irão certamente se arrepender daquilo que disseram, se continuarem vivos", acrescentou Salami.

    Referindo que os inimigos do Irã já enfrentaram "consequências dolorosas" pelo assassinato do chefe da Força Quds, Soleimani, o chefe do IRGC avisou que eles vão receber golpes "contínuos e esmagadores" se mais algum dos comandantes iranianos for morto.

    "O regime dos EUA, o regime sionista e os regimes seus aliados e que dependem deles são basicamente regimes de terror, uma realidade que eles agora têm que admitir", disse o comandante do IRGC.

    Anteriormente, o representante especial dos EUA para o Irã, Brian Hook, disse que o presidente dos EUA deixou claro que "qualquer ataque contra americanos ou contra os interesses dos EUA terão reposta decisiva".

    Ao ser perguntado sobre a operação norte-americana que vitimou o general iraniano Qassem Soleimani, Hook disse que o sucessor do general, Esmail Ghaani, também pode vir a ser assassinado.

    Mais:

    Сomo Irã pode retaliar contra EUA por meios não bélicos?
    Daesh estaria aproveitando tensões entre EUA e Irã para intensificar ataques
    Tags:
    ameaça militar, ameaça de morte, Oriente Médio, tensões, EUA, Irã, Hossein Salami, Brian Hook
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar