15:06 23 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    21844
    Nos siga no

    O Departamento de Defesa dos EUA alegou que sua presença militar no Iraque torna o país mais seguro e "próspero", apesar da decisão tomada pelos legisladores iraquianos de retirar todas as tropas estrangeiras do país e das crescentes tensões com Irã.

    "Neste momento, os militares dos EUA não têm planos de se retirarem do Iraque", disse a repórteres o secretário adjunto de Defesa, Jonathan Hoffman, durante um briefing de imprensa.

    "Eu considero que tem sido evidente [...] que o consenso no Iraque parece ser que as forças dos EUA são uma força do bem", afirmou o funcionário.

    O representante do Departamento de Defesa afirmou que a presença dos EUA no país é "benéfica" ao Iraque e "vai continuar a conduzir ao aumento de segurança e prosperidade do povo iraquiano", relata Washington Examiner.

    Apesar da confiança do funcionário do Pentágono, seu discurso parece estar em desacordo com o Parlamento iraquiano, que aprovou uma resolução não vinculativa pedindo ao primeiro-ministro do país, Adil Abdul Mahdi, para anular o pedido de assistência militar à coalizão liderada pelos Estados Unidos.

    Em 3 de janeiro, os Estados Unidos realizaram um ataque de drone perto do Aeroporto Internacional de Bagdá, no Iraque, que matou o general iraniano Qassem Soleimani e o líder da milícia xiita iraquiana Abu Mahdi Muhandis, entre outros.

    A Casa Branca justificou o assassinato como medida preventiva, alegando que Soleimani estava por trás do cerco à embaixada dos EUA no Iraque no dia 31 de dezembro de 2019.

    Mais:

    EUA 'deixam de ser relevantes' na política externa no Oriente Médio, diz dirigente chileno
    'EUA fora do Oriente Médio', gritam manifestantes em frente à Casa Branca
    Tags:
    tensões, tropas estrangeiras, Oriente Médio, Pentágono, Iraque, EUA, tropas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar