00:28 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6102
    Nos siga no

    Comandante do Estado-Maior Conjunto dos EUA, general Mark Milley, declarou que forças americanas na África podem ser reduzidas e deslocadas para país de origem ou Pacífico.

    "As forças poderiam ser reduzidas ou transferidas, para aumentar a prontidão da força no território continental dos EUA ou para o Pacífico", declarou o general Mark Milley, segundo o portal Military.com.

    A declaração do oficial surge enquanto a França tem empregado esforços para aumentar a luta contra jihadistas no continente africano.

    Atualmente, Paris mantém 4.500 militares na África, segundo a mídia. Contudo, em sentido contrário ao da França, os EUA pretendem reduzir seu número de tropas na região ao longo dos próximos anos.

    Uma das razões disso seria a adversidade de Washington com a Rússia e a China.

    Presidente francês Emmanuel Macron posa para foto com soldados de seus país na África (foto de arquivo)
    © AFP 2019 / LUDOVIC MARIN
    Presidente francês Emmanuel Macron posa para foto com soldados de seus país na África (foto de arquivo)

    Por enquanto, o Pentágono possui por volta de 7.000 militares de Forças Especiais em rotação na África que cooperam com forças locais na luta contra grupos terroristas, especialmente na Somália.

    Também outros 2.000 militares americanos conduzem missões de treinamento em 40 países africanos, ao passo que colaboram com a França em operações conjuntas, em particular provendo assistência logística.

    Fechando bases

    Segundo a mídia, a base americana de Agadez, no Níger, poderia ser uma das instalações que os EUA fechariam na região.

    A base abriga drones militares usados para operações de vigilância no Sahel.

    Mais:

    Como EUA conterão Rússia e China reduzindo presença militar na África e América Latina?
    'Airbag' comercial: como África pode compensar disputa econômica entre EUA e China
    Exército dos EUA receia ser ultrapassado pela China em África
    Tags:
    França, Somália, Exército dos EUA, EUA, Mark Milley, África
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar