01:42 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    480
    Nos siga no

    A Organização das Nações Unidas (ONU) espera que a conferência de cessar-fogo realizada em Moscou retome o processo de paz na Líbia, disse o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, nesta segunda-feira (13).

    No início do dia, o primeiro-ministro internacionalmente reconhecido da Líbia, Fayez Sarraj, e Khalifa Haftar, que lidera as forças no leste da Líbia, conversaram em Moscou sobre a crise na Líbia. O encontro foi mediado por Rússia e Turquia. 

    "Obviamente, estamos acompanhando os desenvolvimentos em Moscou e nossa esperança [é] que estes são possíveis passos que levarão à convocação da conferência internacional sobre a Líbia em Berlim", disse Dujarric.

    A conferência internacional de paz de Berlim deve ocorrer em janeiro.

    Dujarric também disse que a ONU tomou nota do fato de que as partes aceitaram o acordo de cessar-fogo e deram boas-vindas à medida.

    "O importante é que, depois de tudo assinado, todas as partes sigam completamente o cessar-fogo e permitam o caminho pacífico para resolver suas diferenças", acrescentou.

    No domingo, o Exército Nacional da Líbia, com sede no Leste, e o Governo do Acordo Nacional, com sede no Oeste, anunciaram um cessar-fogo. No entanto, Hamid al-Safi, assessor do presidente do Parlamento da Líbia, disse à Sputnik que o acordo ainda não havia sido assinado.

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse na segunda-feira que Haftar, que lidera o Exército Nacional da Líbia, pediu um tempo extra para analisar o projeto de acordo de cessar-fogo.

    Mais:

    Sarraj se diz pronto para confrontos, mas pede diálogo para resolver crise líbia
    Reunião de líderes da Líbia em Moscou deve dar 'mais resultados' do que na ONU, diz analista
    Rússia deve garantir acordo de cessar-fogo na Líbia, diz fonte
    Lavrov: reunião em Moscou progrediu, mas fim do conflito na Líbia ainda não foi alcançado
    Perto da Europa: Daesh está voltando e fincando raízes na Líbia, diz rei da Jordânia
    Tags:
    Sergei Lavrov, Rússia, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar