14:14 05 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    19286
    Nos siga no

    O chefe do judiciário iraniano declarou que pretende processar Donald Trump pelo assassinato de Soleimani.

    O major-general Qassem Soleimani, chefe da Força Quds do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, morreu em Bagdá, no dia 3 de janeiro, após os seu veículo ser atingido por um míssil lançado por um drone americano.

    A morte de Soleimani afetou profundamente as relações entre o Irã e os EUA.

    O governo iraniano pretende processar o presidente dos EUA, Donald Trump, pelo assassinato do major-general Soleimani, afirmou o chefe do Judiciário do Irã, Ebrahim Raisi.

    "Ele deve ser processado e levado a tribunal na frente do mundo todo", afirmou Raisi nesta segunda-feira, durante uma reunião de autoridades judiciais, citado pela Agência de Notícias Fars.

    A alta autoridade judicial pediu aos juristas que "manifestassem seu protesto" e alertou que, se o Irã não buscar justiça no caso de "um crime tão horrível", não terá mais autoridade moral para julgar crime algum.

    "Em nossa opinião, como o mártir Soleimani era um símbolo de combate ao terrorismo e apoio aos oprimidos, seu assassinato viola todas as leis", acrescentou Raisi.

    O Comitê de Direitos Humanos e o Ministério das Relações Exteriores do Irã devem registrar uma queixa formal contra Donald Trump junto a organizações internacionais, informou Raisi.

    Raisi também esclareceu que o Irã planeja prosseguir com o processo contra Trump, mesmo se o seu mandato presidencial for encerrado.

    Tags:
    Qasem Soleimani, Donald Trump, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar