00:26 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6400
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, destacou nesta segunda-feira que as conversas entre as partes envolvidas no conflito na Líbia foram produtivas e contaram com avanços, porém um acordo em favor da paz ainda não foi alcançado.

    Lavrov revelou que a assinatura de um cessar-fogo acabou adiada, uma vez que o líder do Exército Nacional Líbio (LNA), marechal Khalifa Haftar, pediu mais tempo para analisar os termos do documento discutido entre todas as partes - uma resposta é esperada até a manhã desta terça-feira.

    Além da mediação russa e turca, a reunião teve a presença do primeiro-ministro do Governo do Acordo Nacional (GNA) da Líbia, Fayez Sarraj, e observadores dos Emirados Árabes Unidos e do Egito.

    O ministro russo ainda destacou que a Turquia, assim como a Rússia, ajudará na implementação na Líbia dos acordos apalavrados em Moscou. A expectativa é que um cessar-fogo sem pré-condições seja alcançado, permitindo pavimentar o caminho para uma pacificação e estabilização do país do norte da África, que é uma importante parada para migrantes e refugiados a caminho da Europa.

    "Os participantes das conversações de paz entre os lados do conflito líbio em Moscou concordaram em [...] garantir, sem condições prévias, o cumprimento da cessação das hostilidades, que entrou em vigor em 12 de janeiro de 2020 às 0h00", diz um trecho do documento da reunião visto pela Sputnik.

    A proposta ainda acrescenta que os dois lados do conflito devem "cessar as ações militares e se esforçar para alcançar a escalada das hostilidades em todas as áreas". Além disso, foi acordado "determinar uma linha de contato que garanta um cessar-fogo sustentável, apoiada pela adoção de medidas necessárias para estabilizar a situação no terreno e normalizar a vida em Trípoli e outras cidades".

    O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, expressou sua esperança de que os dois lados acabem assumindo obrigações de cumprir o acordo recém-alcançado, abrindo caminho para o início do processo político pacífico na Líbia.

    As duas lideranças líbias estão em Moscou para discutir a possibilidade de assinar um acordo oficial de cessar-fogo para o país norte-africano, afetado por conflitos desde o assassinato do então chefe de Estado Muammar Kadhafi, em 2011.

    ​Atendendo a apelos da Rússia e da Turquia, o Exército Nacional Líbio anunciou que respeitaria um regime de cessar-fogo a partir da primeira hora deste domingo na parte ocidental da Líbia, e pediu que o Governo do Acordo Nacional fizesse o mesmo. Mas, horas depois do anúncio, a trégua foi violada, com as duas partes trocando acusações sobre quem teria desrespeitado o cessar-fogo primeiro.

    Mais:

    Turquia anuncia envio de tropas à Líbia por 'coordenação e estabilidade'
    Líbia de Haftar pede ajuda militar ao Egito
    Sarraj se diz pronto para confrontos, mas pede diálogo para resolver crise líbia
    Tags:
    diplomacia, paz, cessar-fogo, Egito, Emirados Árabes Unidos, Turquia, Exército Nacional Líbio (LNA), Conflito na Líbia, crise na Líbia, Muammar Kadhafi, Fayez al-Sarraj, Khalifa Haftar, Sergei Lavrov, Rússia, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar