09:04 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    13184
    Nos siga no

    A queda da aeronave ucraniana, ao decolar de Teerã, foi resultado de um "erro humano", informaram as autoridades iranianas. A Procuradoria ucraniana

    A Procuradoria Geral da Ucrânia vai avaliar o caso da aeronave abatida nos arredores do Teerã como um evento criminal.

    "A Procuradoria Geral tomou a decisão de alterar a qualificação do crime, para o qual foi aberto o processo. A investigação seguirá interpretação do Código Criminal, que contempla responsabilidade por homicídio culposo de duas ou mais pessoas, e destruição da aeronave", informou o comunicado do órgão de Kiev.  

    No início desta semana, um Boeing 737 caiu no Irã, matando todas as 176 pessoas a bordo. Teerã enfatizou que a tragédia ocorreu devido a um erro técnico. Várias nações ocidentais, no entanto, se recusaram a descartar a possibilidade do avião ter sido derrubado por um míssil.

    Neste sábado, no entanto, Teerã reconheceu ter derrubado o Boeing 737 da Ucrânia em função de um "erro humano", segundo as declarações do ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, neste sábado.

    As forças armadas iranianas também confirmaram em um comunicado na TV estatal que o avião foi derrubado involuntariamente, enquanto voava nas proximidades de uma instalação militar.

    Segundo o comunicado, as partes responsáveis ​​serão responsabilizadas pelo judiciário local.

    As forças armadas expressaram suas condolências às famílias das vítimas.

    O avião ucraniano, que realizaria o trajeto entre Teerã e Kiev, caiu logo após decolar do aeroporto de Teerã, na quarta-feira.

    Todas as 176 pessoas a bordo da aeronave morreram, incluindo cidadãos do Irã, Ucrânia, Canadá, Reino Unido, Alemanha, Suécia e Afeganistão.

    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar