15:18 18 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    10511
    Nos siga no

    O secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, afirmou que, depois da morte do general iraniano Qassem Soleimani, Washington "restaurou um certo nível de dissuasão" contra Teerã.

    O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Mark Esper, confirmou, durante uma coletiva de imprensa que realizou com o presidente do Estado-Maior Conjunto dos EUA, Mark Milley, que o ataque iraniano contra as tropas estadunidenses no Iraque veio de três locais no Irã e incluiu 16 mísseis balísticos de curto alcance que acertaram em pelo menos dois pontos.

    Além disso, Mark Esper afirmou que 11 mísseis atingiram a base aérea Ain Al-Asad e a base de Arbil, mas só provocaram danos em um helicóptero, várias tendas e estacionamentos, segundo The Politico.

    O secretário de Defesa dos EUA disse que o Exército do país permanece "preparado e pronto". Ele adicionou que, depois dos ataques estadunidenses contra o grupo Kata'ib Hezbollah no Iraque e a morte do general iraniano Qassem Soleimani, Washington "restaurou um certo nível da dissuasão" contra Teerã.

    Bandeiras dos Estados Unidos e de Israel sendo queimadas por participantes do funeral do major-general iraniano Qassem Soleimani
    © REUTERS / Nazanin Tabatabaee / WANA NEWS AGENCY
    Bandeiras dos Estados Unidos e de Israel sendo queimadas por participantes do funeral do major-general iraniano Qassem Soleimani

    Na madrugada de quarta-feira (8), o Irã atacou com dezenas de mísseis balísticos duas bases aéreas iraquianas, que abrigam tropas estadunidenses, em resposta ao recente assassinato de Soleimani.

    Mais:

    Terrorismo, fogo antiaéreo e explosão de motor são versões ucranianas da queda de avião no Irã
    Irã 'calibrou' ataques para causar mínimo dano possível aos EUA, segundo jornal
    EUA não atacaram Irã por razões de política interna, diz especialista
    Tags:
    guerra, EUA, Departamento de Defesa dos EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar