13:41 22 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6211
    Nos siga no

    A morte de um alto general iraniano após um ataque dos Estados Unidos foi um ato de terrorismo de Estado e o Irã responderá proporcionalmente, disse o ministro de Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, em entrevista nesta terça-feira.

    Zarif afirmou à rede americana CNN que o presidente dos EUA, Donald Trump, demonstrou falta de respeito pelo direito internacional, ameaçando os locais culturais do Irã.

    "Isso é terrorismo de Estado", argumentou Zarif sobre o assassinato de Qassem Soleimani, comandante da Força Quds do Corpo da Guarda Revolucionária, em um ataque de drones dos EUA em Bagdá na semana passada.

    "Este é um ato de agressão contra o Irã, e isso equivale a um ataque armado contra o Irã, e nós responderemos. Mas responderemos proporcionalmente - não desproporcionalmente [...] Não desrespeitamos a lei como o presidente Trump".

    Trump declarou no sábado que os Estados Unidos estavam prontos para atacar 52 alvos iranianos, incluindo alguns importantes para a cultura iraniana, se o Irã atacasse ativos dos EUA ou americanos.

    No domingo, ele afirmou que os Estados Unidos reagiriam "talvez de maneira desproporcional" se o Irã atacasse qualquer alvo americano.

    Homem leva retrato de Qassem Soleimani em cortejo fúnebre em Teerã, Irã
    © REUTERS / Nazanin Tabatabaee / WANA NEWS AGENCY
    Homem leva retrato de Qassem Soleimani em cortejo fúnebre em Teerã, Irã

    Zarif explicou que Trump mostrou ao mundo que "estava preparado para cometer crimes de guerra, porque atacar locais culturais é um crime de guerra. Resposta desproporcional é um crime de guerra".

    Soleimani foi responsável pela criação da rede de exércitos substitutos de Teerã em todo o Oriente Médio e ele foi uma figura-chave na orquestração da campanha de longa data do Irã para expulsar as forças americanas do Iraque.

    Zarif comentou que Washington deveria acordar para a realidade de que "os Estados Unidos não podem ficar nesta região com o povo da região que não quer mais isso".

    Questionado se valia a pena falar com Trump, Zarif disse: "Não é necessário falar. Ele precisa perceber que recebeu informações erradas. E ele precisa acordar e pedir desculpas. Ele precisa pedir desculpas e mudar o curso".

    Mais:

    Irã convoca representante do Itamaraty após nota do governo brasileiro
    Crise entre EUA e Irã não deve impactar preço dos combustíveis no Brasil, diz especialista
    Irã prepara '13 cenários de vingança' aos EUA pelo assassinato de Soleimani
    Tags:
    diplomacia, agressão, ataque, terrorismo, CNN, Donald Trump, Qassem Soleimani, Mohammad Javad Zarif, Iraque, Estados Unidos, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar