15:15 27 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    9412
    Nos siga no

    A Alemanha deve retirar entre 30 e 40 dos seus 120 militares instalados no Iraque para países vizinhos na região em meio à crise diplomática entre EUA e Irã, agência de notícias dpa.

    De acordo com a mídia alemã, o país está planejando retirar uma parcela dos seus 120 militares do Iraque para os países vizinhos Jordânia e Kuwait depois que os EUA mataram o popular major-general iraniano Qassem Soleimani, e um importante líder da milícia xiita iraquiana, em um ataque aéreo em Bagdá, Iraque.

    Além disso, é ressaltado que a ministra da Defesa, Annegret Kramp-Karrenbauer, e o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, escreveram aos legisladores que as tropas nas bases iraquianas em Bagdá e em Taji seriam "temporariamente reduzidas", com retirada de "cerca de 30 [soldados] de Taji e mais alguns de Bagdá", totalizando entre 30 e 40 soldados.

    Embora a maioria das tropas alemãs esteja em outras partes do Iraque, os militares localizados em Bagdá e Taji serão imediatamente transferidos para Jordânia e Kuwait até haver "uma nova consulta" e lhes ser exigido o recomeço de treinamento. Os dois ministros alemães sublinharam continuam dialogando com o governo iraquiano sobre a continuação da missão de treinamento das tropas iraquianas.

    Soldados alemães durante a primeira visita do secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, para a base alemã da OTAN, Camp Marmal, em Mazar-i Sharif, no Afeganistão
    © AP Photo / Massoud Hossaini
    Soldados alemães durante a primeira visita do secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, para a base alemã da OTAN, Camp Marmal, em Mazar-i Sharif, no Afeganistão

    É "um passo muito bom para dar tempo ao governo iraquiano de avaliar a situação" depois que o parlamento iraquiano pediu a retirada das tropas estrangeiras, afirmou Roderich Kiesewetter, um legislador da União Democrata-Cristã, partido da chanceler alemã Angela Merkel, conforme citado pela dpa. 

    Mais:

    EUA negam visto a chanceler iraniano para participar de reunião da ONU
    Netanyahu teria advertido ministros para se afastarem do caso do assassinato de Soleimani
    Tumulto na marcha fúnebre do general Soleimani deixa ao menos 50 mortos e quase 200 feridos
    Tags:
    EUA, Irã, Iraque, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar