17:45 05 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    16429
    Nos siga no

    Os EUA e seu aliado Israel enfrentarão um "dia sombrio" após o assassinato do comandante da Força Quds iraniana, Qassem Soleimani, disse sua filha, enviando um alerta ameaçador ao presidente dos EUA, Donald Trump.

    "Trump seu louco, não pense que tudo acabou com o martírio de meu pai", declarou Zeinab Soleimani em um discurso transmitido na televisão estatal em meio a uma cerimônia de luto em Teerã.

    Os EUA se alegraram com o assassinato do general Soleimani no início da semana, com Trump dizendo que ajudou a impedir ataques "iminentes e sinistros" contra diplomatas e funcionários dos EUA.

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, afirmou que o ataque que matou Soleimani perto de um aeroporto de Bagdá também evitou uma "grande ação" não especificada, que colocaria "dezenas, senão centenas de vidas americanas em risco".

    Teerã chamou o assassinato de "um ato de terrorismo" e prometeu "uma resposta rigorosa" assim que Soleimani for sepultado. As cerimônias em homenagem ao general, que liderou a Força Quds por mais de duas décadas desde 1998, tiveram pessoas pisando e queimando bandeiras americanas e israelenses.

    Mais:

    Pequim condena 'intervencionismo militar' dos Estados Unidos no Oriente Médio
    Ministro alemão ainda pensa em salvar acordo nuclear com Irã e critica ameaças de Trump
    'Não era general': Bolsonaro mostra alinhamento com os EUA ao falar de Soleimani
    Tags:
    Mike Pompeo, diplomacia, violência, ameaça, vingança, Donald Trump, Israel, Estados Unidos, Qassem Soleimani, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar