16:25 29 Março 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    25597
    Nos siga no

    Assim como Tel Aviv, 35 alvos vitais americanos no Oriente Médio estão "ao alcance do Irã", disse o comandante da Guarda Revolucionária do Irã, Gholamali Abuhamzeh, citado pela agência de notícias Tasnim.

    "O estreito de Ormuz é um ponto vital para o Ocidente e um grande número de destróieres e navios de guerra americanos cruzam lá [...] Alvos vitais americanos na região foram identificados pelo Irã há muito tempo [...] cerca de 35 alvos americanos na região, bem como Tel Aviv, estão ao nosso alcance", disse ele à mídia.

    O comandante iraniano acrescentou que Teerã se reserva o direito de retaliar contra os EUA pelo assassinato do chefe da Força Quds, levantando a perspectiva de possíveis ataques a navios no Golfo.

    Neste sábado (4), o líder da coalizão política parlamentar do Hezbollah no Líbano, Mohamed Raad, declarou que a resposta do eixo de resistência apoiado pelo Irã ao assassinato do general seria decisiva, citou o Al-Mayadeen.

    O Departamento de Estado sublinhou que Washington vai continuar a sua dura política de sanções contra o Irã e já tomou as medidas necessárias para proteger os seus bens no Oriente Médio, acrescentou a emissora Al-Arabiya.

    Assassinato de Soleimani

    As tensões entre Washington e Teerã aumentaram após a morte do general iraniano Qassem Soleimani, que foi assassinado em Bagdá na sexta-feira (3) durante um ataque aéreo autorizado pelo presidente norte-americano Donald Trump.

    Os EUA descreveram a sua ação como uma medida preventiva para evitar um conflito militar e proteger os militares americanos que estão na região.

    Manifestantes iranianos durante protesto contra o assassinato do general iraniano Qassem Soleimani, 3 de janeiro de 2020
    © REUTERS / Agência de notícias Wana
    Manifestantes iranianos durante protesto contra o assassinato do general iraniano Qassem Soleimani, 3 de janeiro de 2020

    Após o assassinato de Soleimani, as autoridades iranianas ameaçaram retaliar para vingar a morte do general. Ele foi sucedido pelo brigadeiro-general Esmail Ghaani, que anteriormente ocupava o cargo de comandante-adjunto da unidade.

    Mais:

    Bombardeio no aeroporto de Badgá mata general iraniano, diz TV iraquiana
    Hezbollah promete resposta coordenada ao assassinato de Soleimani
    Detalhes sobre ataque contra general iraniano são revelados por mídia americana
    Tags:
    EUA, Estreito de Ormuz, Tel Aviv, Quds, Qassem Soleimani
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar