05:57 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    22739
    Nos siga no

    Um alto funcionário do Departamento de Estado dos EUA criticou nesta segunda-feira a Rússia e a China por realizarem exercícios navais conjuntos com o Irã e pediu que ambos participem da campanha de sancionar e isolar Teerã.

    "Agora não é o momento dos governos fazerem nenhum tipo de exercício militar com esse regime. Pensamos que agora é o momento de sancionar a liderança iraniana pelos abusos dos direitos humanos que cometeu contra seu próprio povo e de isolar diplomaticamente o regime de todas as formas possíveis", disse o funcionário em uma coletiva de imprensa.

    O mesmo funcionário dos EUA acusou as autoridades iranianas de matar 1.500 pessoas durante um recente confronto com uma onda de protestos, ferindo e prendendo milhares de outras pessoas.

    "Eles [países que realizam exercícios com o Irã] estão enviando uma mensagem muito clara ao povo iraniano de que estão do lado de seus opressores e assassinos", comentou a autoridade.

    Na sexta-feira, Rússia, China e Irã lançaram o exercício conjunto "Cinto de Segurança Naval" no norte do oceano Índico e no golfo de Omã. Os participantes estavam programados para combater o terrorismo e a pirataria, além de fornecer segurança regional.

    O exercício estava programado para durar quatro dias, período em que as Marinhas dos países compartilhariam conhecimento e experiência em operações de resgate naval.

    Mais:

    Pentágono avisa que monitorará exercícios navais da Rússia, China e Irã no mar Arábico
    Irã promete derrubar aeronaves espiãs que se aproximarem de exercícios do país com China e Rússia
    Irã classifica ataques dos EUA no Iraque como 'claro exemplo de terrorismo'
    Tags:
    diplomacia, exercícios navais, exercícios militares, Golfo de Omã, Departamento de Estado dos EUA, Estados Unidos, China, Rússia, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar