16:51 05 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7231
    Nos siga no

    Os exercícios militares conjuntos conduzidos por Teerã, Pequim e Moscou estariam enviando uma mensagem forte a Washington e seus aliados para que mantenham seus "indesejáveis planos de segurança" fora do Oriente Médio.

    As declarações foram feitas pelo comandante da Marinha iraniana, almirante Hossein Khanzadi, reportou a mídia local.

    "Os americanos devem se retirar da região", afirmou a autoridade iraniana após exercícios militares com China e Rússia.

    Os exercícios navais trilaterais conduzidos pelo Irã, China e Rússia foram realizados para "aumentar a segurança na região". Mas, além disso, os exercícios devem "enviar uma mensagem muito importante" para os EUA e "seus seguidores", acrescentou Khanzadi.

    "A era de incursões norte-americanas na região chegou ao fim e eles devem se retirar gradualmente da região", reiterou o almirante.

    Anteriormente, o Irã havia alertado para que terceiros se mantivessem longe dos exercícios militares. A Marinha do país persa foi instruída a atingir "quaisquer aparelhos espiões na região das manobras, seja aéreo ou naval".

    Destróier iraniano Jamaran no golfo Pérsico (foto de arquivo)
    © AFP 2020 / Ebrahim Nourozi
    Destróier iraniano Jamaran no golfo Pérsico (foto de arquivo)

    Os exercícios conjuntos tiveram início nesta sexta-feira (27), na cidade portuária iraniana de Chabahar, no golfo de Omã, e envolvem uma ampla gama de missões de treinamento, operações de resgate e antipirataria.

    No início do segundo semestre deste ano, as tensões se elevaram na costa iraniana após dois petroleiros sauditas terem sido alvo de ataque. Os EUA e seus aliados culparam o Irã pelos incidentes.

    Navios de guerra da Marinha do Irã
    © AP Photo / Agência de Notícias Fars, Mahdi Marizad
    Navios de guerra da Marinha do Irã

    Pouco depois, mais dois petroleiros foram danificados, após supostamente terem sido atingidos por minas no golfo de Omã. O Irã foi, novamente, apontado como responsável pelo ataque.

    Os EUA aumentaram suas atividades de patrulha na região, alegadamente devido às "ações provocativas" do Irã. A medida, no entanto, não teve apoio por parte de todos os aliados de Washington.

    Mais:

    Israel se prepara para 'confronto limitado' com Irã, afirma chefe do Estado-maior israelense
    Pentágono avisa que monitorará exercícios navais da Rússia, China e Irã no mar Arábico
    Irã classifica ataques dos EUA no Iraque como 'claro exemplo de terrorismo'
    Tags:
    presença militar, EUA, exercícios militares, Rússia, China, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar