08:10 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    9181
    Nos siga no

    As ações dos EUA para controlar os campos de petróleo no nordeste da Síria é um roubo de recursos que pertencem ao povo do país, disse senador norte-americano.

    "A tomada dos campos de petróleo sírios foi simplesmente um ato de pirataria. É puro e simples roubo. O petróleo pertence a todo o povo da Síria. Não pertence à minoria curda e não pertence às companhias petrolíferas americanas", disse o senador estadual da Virgínia, Richard Black.

    O político americano afirma que se opõe totalmente à presença e manutenção de tropas americanas no nordeste da Síria, pois seu único objetivo é minar o governo legítimo sírio, o que só fortalece o Daesh e a Al-Qaeda (grupos terroristas proibidos na Rússia e em outros países).

    O senador da Virgínia também declarou que se opõe às sanções de Washington contra Damasco porque elas têm a intenção de empobrecer o país, negando ao seu povo alimentos, medicamentos e dificultando os esforços de reconstrução.

    "Não acredito que os EUA devam ter forças militares lá [no nordeste da Síria], e não acho que devamos interferir ou bloquear o comércio do país com outras nações."

    O secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, disse no final de outubro que os Estados Unidos negariam o acesso das forças russas e sírias aos campos de petróleo no nordeste sírio, garantindo que eles sejam controlados pelas Forças Democráticas Sírias (FDS) lideradas pelos curdos.

    Conflito sírio-curdo

    A decisão dos Estados Unidos de manter tropas no norte da Síria minou os esforços de reconciliação entre os curdos e o governo sírio que ocorreram quando o presidente americano Donald Trump inicialmente ordenou a retirada das forças da área e a Turquia iniciou uma operação militar na região, opina o senador estadual.

    "Trump ordenou, ou pelo menos permitiu que o Pentágono ordenasse, uma invasão através da fronteira do Iraque e que envolveu dezenas de tanques americanos e 500 soldados que atravessaram a fronteira iraquiana para tomar os campos de petróleo sírios", disse Black. "Quando isso aconteceu, isso deu ao governo curdo um incentivo para se tornar intransigente com a Síria novamente e, claro, isso está prolongando a guerra novamente, interrompendo a reconciliação dos curdos com o governo de Damasco.

    Poço de petróleo nos arredores da cidade síria de Deir ez-Zor, na Síria
    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Poço de petróleo nos arredores da cidade síria de Deir ez-Zor, na Síria

    Em 13 de novembro, o presidente Donald Trump anunciou que os Estados Unidos pretendiam manter o controle dos campos de petróleo no nordeste da Síria, apesar de sua decisão anterior de retirar as suas tropas da área. Cerca de 90% do petróleo sírio está concentrado a leste do rio Eufrates.

    Processo de paz legítimo

    O processo de negociações no formato de Astana é a única abordagem genuína para resolver o conflito sírio e deve continuar a melhorar a situação no país do Oriente Médio, afirmou o senador.

    Black disse acreditar que o trabalho feito pela Rússia, inclusive pelo presidente Vladimir Putin e pelo chanceler Sergei Lavrov, e por outros garantidores de Astana têm sido úteis para a Síria.

    As conversações de Astana sob mediação da Rússia, Irã e Turquia foram lançadas para encontrar uma solução política para o conflito na Síria. Em particular, as conversações resultaram em um acordo de cessar-fogo histórico com a oposição e no estabelecimento de quatro zonas de desescalada. Desde o lançamento desse acordo, quase todos os terroristas foram expulsos da Síria, o que resultou no início de um processo de resolução política, no regresso de refugiados e em esforços de reconstrução do país.

    Mais:

    Rússia, Turquia e Irã dizem que Comitê da Síria deve trabalhar sem interferência estrangeira
    EUA enviam militares para campo de petróleo na Síria, reporta mídia
    Secretário de Defesa dos EUA: tropas no nordeste da Síria ficarão reduzidas a 600 militares
    Tags:
    pirataria, EUA, Richard Black, campos de petróleo, Síria, tropas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar