16:45 25 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    10314
    Nos siga no

    O primeiro vice-presidente iraniano Eshaq Jahangiri ameaçou os países da região neste sábado com duras consequências se o seu papel em instigar comícios nacionais da semana passada for confirmado.

    "Alguns países da região devem saber que, se forem encontradas pistas de que eles estiveram envolvidos na provocação de tumultos dentro do Irã, o seu destino na região está selado porque o Irã não é um país para ser piada dessa maneira ou para tolerar tais comportamentos", declarou Jahangiri, conforme citado pela agência de notícias Fars.

    Ele acrescentou que eles "receberiam um golpe esmagador se descobrir que os estrangeiros intervieram nos assuntos internos do Irã e infligiram custos e danos à nação iraniana".

    Os protestos eclodiram em várias províncias iranianas na semana passada devido à decisão do governo de aumentar repentinamente o preço da gasolina. Alguns deles se tornaram violentos e resultaram em baixas entre manifestantes e forças de segurança. Posteriormente, vários contra-protestos ocorreram no Irã em protesto contra a agitação.

    Segundo o presidente Hassan Rouhani, os protestos foram organizados pelos Estados Unidos e Israel para minar a segurança nacional do Irã. Washington expressou abertamente o apoio a manifestantes.

    Mais:

    Irã acusa EUA de ajudar Israel a 'ocupar' Palestina
    Irã mostra em VÍDEO exercício militar simulando guerra no estreito de Ormuz
    Irã espera receber empréstimo de US$ 2 bilhões da Rússia
    Tags:
    combustível, preços de combustíveis, interferência estrangeira, soberania, protestos, ameaça, diplomacia, Israel, Estados Unidos, Arábia Saudita, Eshaq Jahangiri, Teerã, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar