02:52 16 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Ex-ministro libanês das Finanças, Mohammad Safadi

    Pressionado pelas ruas, ex-ministro desiste de candidatura e agrava crise no Líbano

    © REUTERS / Cynthia Karam
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4 0 0
    Nos siga no

    O ex-ministro das Finanças libanês Mohammad Safadi retirou no sábado sua candidatura para ser o próximo primeiro-ministro, dizendo que viu que teria sido difícil formar um gabinete "harmonioso" apoiado por todas as partes.

    Safadi, de 75 anos, surgiu como candidato na quinta-feira, quando fontes políticas e meios de comunicação libaneses disseram que três grandes partidos concordaram em apoiá-lo no cargo.

    Sua decisão de se retirar leva a pressão do Líbano para formar um governo necessário para promulgar reformas urgentes de volta à estaca zero em face de protestos sem precedentes que levaram o primeiro-ministro Saad al-Hariri a renunciar no mês passado.

    Safadi afirmou em comunicado que decidiu se retirar após consultas com partidos políticos e uma reunião neste sábado com Hariri.

    "É difícil formar um governo harmonioso apoiado por todos os lados políticos que possam tomar as medidas imediatas de salvação necessárias para deter a deterioração econômica e financeira do país e responder às aspirações das pessoas nas ruas", afirmou o comunicado.

    Manifestantes que saíram às ruas neste sábado denunciaram a possível indicação de Safadi, dizendo que ela contraria os apelos nacionais para expulsar uma elite política da qual eles o veem como parte integrante.

     Mulher com a bandeira do Líbano participa de um bloqueio de rodovia no país árabe durante manifestações contra o governo em Beirute
    © REUTERS / Andres Martinez Casares
    Mulher com a bandeira do Líbano participa de um bloqueio de rodovia no país árabe durante manifestações contra o governo em Beirute

    No comunicado, Safadi, um importante empresário ligado à Arábia Saudita, agradeceu ao presidente Michel Aoun e Hariri por apoiar sua candidatura e disse esperar que Hariri retorne como primeiro-ministro para formar um novo governo.

    O grupo xiita Hezbollah e seu aliado xiita Amal concordaram em apoiar Safadi após uma reunião com Hariri no final da quinta-feira, segundo a mídia libanesa e fontes políticas, mas nenhum partido político desde então aprovou formalmente sua candidatura.

    Os dois grupos xiitas, juntamente com Aoun, um cristão maronita, procuraram Hariri retornar como primeiro-ministro, mas exigiram a inclusão de tecnocratas e políticos no novo gabinete, enquanto Hariri insistiu em um gabinete composto inteiramente por ministros especialistas.

    O processo de escolha de um novo primeiro-ministro exige que Aoun consulte formalmente os membros do Parlamento sobre sua escolha de primeiro-ministro. Ele deve designar quem obtiver mais votos.

    O primeiro-ministro do Líbano deve ser muçulmano sunita, de acordo com seu sistema sectário de compartilhamento de poder.

    Mais:

    Líbano anuncia plano para acalmar manifestações
    EUA e aliados estão por trás dos tumultos no Iraque e no Líbano, diz Khamenei
    Drone israelense teria sido derrubado no sul do Líbano
    Tags:
    Hezbollah, Michel Aoun, Saad Hariri, eleições, crise política, Líbano, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar