17:38 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2101
    Nos siga no

    Teerã salientou que seu programa nuclear tem fins pacíficos e insistiu aos signatários europeus que salvem o acordo nuclear.

    Um documento confidencial da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirma que o Irã incrementou exponencialmente suas reservas de urânio de baixo enriquecimento após reiniciar a produção em dois reatores, Natanz e Fordo, informou na segunda-feira (11) a AP.

    A agência reguladora menciona que o arsenal deste elemento químico supera a quantidade permitida no Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA, na sigla em inglês), acordo nuclear assinado em 2015 que está em risco desde a saída unilateral dos EUA na administração de Donald Trump.

    Em junho de 2015, um conjunto de países aprovou, na cidade suíça de Lausanne, o Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA, na sigla em inglês), que regula o programa nuclear do Irã.
    © AP Photo / Brendan Smialowski
    Em junho de 2015, um conjunto de países aprovou, na cidade suíça de Lausanne, o Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA, na sigla em inglês), que regula o programa nuclear do Irã.

    Atualmente, a República Islâmica do Irã produz ao menos 5,5 quilos diários de urânio de baixo enriquecimento, em comparação com a cifra anterior de 450 gramas diárias, de acordo com Ali Akbar Salehi, presidente da Agência de Energia Atômica do Irã. Este aumento responderia à ativação de mil centrífugas em Fordo, no norte do país.

    A AIEA aponta que a partir de 4 de novembro, o arsenal de urânio de baixo enriquecimento iraniano era de 372 quilos em comparação com os 241,6 quilos informados em 19 de agosto, superando o limite de 202,8 quilos estimado pelo acordo nuclear.

    Ainda que o relatório informe que Teerã está enriquecendo urânio ao nível de 4,5%, enquanto o nível permitido pelo acordo é de 3,67%, a produção continua abaixo do necessário para armas, cuja graduação corresponde normalmente a 90%.

    Contudo, Teerã reitera que seu programa nuclear tem fins pacíficos e solicitou aos signatários europeus que reforcem o comprometimento ao JCPOA e que evitem um novo regime de sanções imposto por Washington. "Ao prolongar o acordo nuclear, alcançaremos um enorme objetivo político, defensivo e de segurança", afirmou o presidente iraniano Hassan Rouhani.

    Mais:

    Irã descobre reserva de petróleo com 53 bilhões de barris
    Irã diz que pode enriquecer urânio a 60% e abandonar Tratado TNP
    Exército iraniano confirma que drone estrangeiro abatido violou espaço aéreo do Irã (VÍDEO)
    Tags:
    Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Irã, Acordo Nuclear Iraniano, acordo nuclear
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar