10:53 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Sede do FMI

    FMI libera empréstimo de US$ 6 bilhões ao Paquistão

    © AFP 2019 / ZACH GIBSON
    Oriente Médio e África
    URL curta
    442
    Nos siga no

    Os déficits fiscais do Paquistão estão diminuindo, informou o FMI ao anunciar que irá repassar a primeira parcela de um empréstimo de US$ 6 bilhões ao país.

    O Fundo Monetário Internacional (FMI) concordou com o pacote de resgate de três anos para o Paquistão em abril — seu 13º programa de resgate para a nação do sul da Ásia desde o final da década de 1980.

    "As políticas do governo começaram a dar frutos, ajudando a reservar o acúmulo de vulnerabilidades e a restaurar a estabilidade econômica. Os déficits externos e fiscais estão diminuindo, a expectativa é de que a inflação diminua", disse o FMI, segundo a agência de notícias Reuters.

    O FMI disse que as perspectivas econômicas de curto prazo do Paquistão permanecem praticamente inalteradas desde a aprovação do programa em abril, com o fortalecimento gradual da atividade e a inflação média que devem desacelerar no ano fiscal de 2020. No entanto, os riscos domésticos e internacionais permanecem e os desafios econômicos estruturais persistem.

    O Paquistão aumentou as taxas de juros no ano passado para controlar a inflação alta, que caiu de 11,37% em setembro para 11,04% em outubro.

    O governo do primeiro-ministro Imran Khan, que assumiu o poder em agosto, obteve alívio temporário de aliados próximos, como China e Arábia Saudita, com empréstimos de curto prazo no valor de mais de US$ 10 bilhões para proteger reservas em moeda estrangeira e aliviar as pressões econômicas.

    Mais:

    Análise: China usará Paquistão para impedir que Índia se aproxime ainda mais dos EUA
    Premiê do Paquistão quer mediar diálogo entre Irã e Arábia Saudita
    Quem apoiar Índia em Caxemira será alvo de mísseis paquistaneses, ameaça ministro do Paquistão
    Destruição e morte em trem em chamas no Paquistão
    Tags:
    empréstimo, FMI, Paquistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar