18:25 11 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Abu Bakr al-Baghdadi, líder do Daesh

    Líder do Daesh teria morrido em operação americana na Síria

    © AP Photo / Militant video
    Oriente Médio e África
    URL curta
    480
    Nos siga no

    O líder do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e vários outros países) teria morrido em uma operação dos Estados Unidos realizada nesta sábado (26) na Síria. 

    Segundo publicou o portal Defense One, Abu Bakr al-Baghdadi foi alvo de uma operação especial americana e teria morrido ao detonar um colete suicida durante a ação. Ainda não há confirmação sobre o ocorrido. 

    Mais cedo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse pelo Twitter que "algo muito grande tinha acabado de acontecer", sem especificar exatamente do que se tratava. Depois, a Casa Branca anunciou que o mandatário faria um "grande pronunciamento" na manhã deste domingo (27). 

    A morte de Baghdadi foi divulgada várias vezes nos últimos anos, mas ao final a notícia se mostrava falsa e ele reaparecia. 

    Segundo a agência Reuters, um oficial do governo americano confirmou a realização da operação contra o chefe do Daesh na província de Idlib, nordeste da Síria, por forças especiais. No entanto, ele não disse se a missão tinha alcançado seu objetivo.  

    Trump anunciou recentemente a retirada total das tropas americanas da Síria. Logo depois, a Turquia iniciou uma ofensiva para expulsar as forças curdas da fronteira. As movimentações provocaram receio do fortalecimento do Daesh na região. A morte do líder máximo do grupo terrorista poderia diminuir a pressão sob o republicano.

    Mais:

    Pentágono: Daesh reforça rede clandestina na Síria e no Iraque
    Chanceler russo: Afeganistão pode se transformar em enclave do Daesh
    Macron alerta Trump sobre o risco de ressurgimento do Daesh na Síria
    Tags:
    guerra, Turquia, Estado Islâmico, operação, Donald Trump, Casa Branca, Daesh, Abu Bakr al-Baghdadi, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar