14:35 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Um soldado dos Estados Unidos dentro de um tanque M1A2 Abrams durante um exercício militar na Lituânia.

    Estados Unidos querem enviar tanques Abrams para região petrolífera na Síria, relata mídia

    © AP Photo / Mindaugas Kulbis
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1518
    Nos siga no

    Após Trump declarar que manterá tropas norte-americanas em campos de petróleo na Síria, fonte do Pentágono declara que, além de pessoal, os EUA querem manter tanques Abrams nas regiões produtoras.

    Os Estados Unidos planejam enviar tanques Abrams para manter a segurança dos poços de petróleo na região leste da Síria, reportou a Newsweek, citando fonte anônima no Pentágono.

    Mais cedo, o presidente dos EUA, Donald Trump, havia declarado que um número reduzido de tropas norte-americanas seria mantido nas regiões produtoras de petróleo da Síria.

    Segundo a fonte, após autorização da Casa Branca, os EUA podem enviar meio batalhão de uma brigada de tanques. Considerando que uma brigada de tanques norte-americana é composta por 90 tanques e é formada por três batalhões, seriam cerca de 15 tanques Abrams, acompanhados do seu respectivo pessoal.

    Tanques M1 Abrams norte-americanos poderão ser enviados a campos de petróleona na Síria
    © Sputnik / Sergey Melkonov
    Tanques M1 Abrams norte-americanos poderão ser enviados a campos de petróleona na Síria

    A fonte acrescentou que as brigadas árabes-curdas das Forças Democráticas da Síria (FDS) devem continuar atuando para manter a segurança dos poços de petróleo.

    No início de outubro, o presidente Donald Trump anunciou a retirada das tropas norte-americanas do nordeste da Síria.

    Retirada dos EUA e Operação Fonte de Paz

    Em 17 de outubro, os Estados Unidos e a Turquia acordaram um cessar-fogo de 120 horas, que suspendeu temporariamente a ofensiva militar turca no nordeste da Síria. O cessar-fogo expirou às 22h00 do horário local (16h00 no horário de Brasília) no domingo, dia 20 de outubro.

    Na terça-feira (22), os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, assinaram um memorando abrangente que regula a situação na fronteira sírio-turca e na região nordeste da Síria. O memorando está sendo implementado desde quarta-feira (23).

    Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, apresentam Acordo à imprensa, após sete horas de negociações em Sochi, na Rússia, em 22 de outubro de 2019
    © Sputnik / Ramil Sitdikov
    Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, apresentam Acordo à imprensa, após sete horas de negociações em Sochi, na Rússia, em 22 de outubro de 2019

    Nesta quinta-feira (24), terão início as patrulhas conjuntas russo-turcas na fronteira entre a Síria e a Turquia, a uma profundidade máxima de 10 km no território sírio, conforme acordado no memorando.

    As patrulhas serão feitas nas regiões a leste e a oeste da área da atual operação turca Fonte de Paz, à exceção da cidade de al-Qamishli.

    Mais:

    Iraque rejeita presença de tropas dos EUA que deixaram Síria
    Polícia militar russa estará presente em algumas partes da fronteira síria e turca, diz ministério
    OTAN comenta memorando da Rússia e Turquia sobre Síria
    Tags:
    campo de petróleo, petróleo, tropas, EUA, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar