06:57 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldados turcos se aproximam da cidade síria de Manbij, em 14 de outubro de 2019

    Presidente Assad descreve operação turca como 'agressão evidente'

    © AP Photo / Ugur Can
    Oriente Médio e África
    URL curta
    9341
    Nos siga no

    O presidente sírio Bashar al Assad qualificou a operação turca no norte do país como "criminosa" e afirmou que seu país responderá à invasão das forças turcas com "todos os meios legítimos".

    Nós "responderemos a isso e enfrentaremos isso, de todas as maneiras, em qualquer lugar da Síria, utilizando todos os meios legítimos que temos à disposição", afirmou Assad ao conselheiro de Segurança Nacional iraquiano, Faleh al-Fayad.

    "A agressão criminosa turca realizada pelo regime de Erdogan na Síria [...] é um ataque evidente, ao qual a Síria já respondeu em diversos locais, atacando agentes dos turcos e seus terroristas", ressaltou.

    Desde a invasão turca no norte da Síria, que se iniciou no dia 9 de outubro, dezenas de civis foram mortos e aproximadamente 300 mil pessoas estão deslocadas, segundo uma comissão de Direitos Humanos britânica baseada na Síria.

    Explosão sobre a cidade fronteiriça síria de Ras al-Ain vista do lado da Turquia, 12 de outubro de 2019
    © REUTERS / Stoyan Nenov
    Explosão sobre a cidade fronteiriça síria de Ras al-Ain vista do lado da Turquia, 12 de outubro de 2019

    No domingo (13), Damasco fechou um acordo com as forças curdas, que resultou nas tropas da Síria se posicionando em partes do nordeste do país controladas pelos curdos.

    Esta é a maior operação de movimentação de tropas realizada pelas Forças Armadas na região desde 2012.

    Mais:

    Exército da Síria entra pela 1ª vez em 5 anos na cidade síria de Raqqa, segundo fonte
    Congresso dos EUA apresenta resolução contra decisão de Trump de retirar-se da Síria
    Mídia: EUA fazem 'demonstração de força' a combatentes apoiados pela Turquia na Síria
    Tags:
    combatentes curdos, curdos sírios, curdos, operação militar, guerra, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar