15:33 19 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Forças turcas mantêm a segurança no posto fronteiriço de Cilvegozu, na fronteira com a Síria (foto de arquivo)

    Chanceler turco à Sputnik: 'Nós não temos medo de ficar isolados'

    © AP Photo / Emrah Gurel
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6242
    Nos siga no

    Em entrevista exclusiva à Sputnik Persa, o chanceler da Turquia, Mevlut Cavusoglu, falou sobre a possibilidade de seu país ficar isolado após operação na Síria.

    Desde que o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, decidiu usar a força armada contra militantes curdos na Síria, diversos países demonstraram preocupação e não apoiaram Ancara.

    Entre tais países configura o Irã. O governo persa tem alertado sobre as consequências da operação militar turca na Síria.

    Além disso, o porta-voz do parlamento iraniano, Ali Larijani, cancelou sua ida à Terceira Conferência de Presidentes de Parlamentos para o Combate ao Terrorismo e Fortalecimento da Cooperação Regional em Istambul.

    Perguntado durante uma entrevista exclusiva à Sputnik Persa sobre a decisão de Larijani, Cavusoglu evitou fazer grandes comentários.

    "Eu não gostaria de comentar a decisão do presidente do parlamento de um dos países. Provavelmente ele teve motivos para não vir. Mas estamos contentes que nesta conferência participe o porta-voz da Duma de Estado da Rússia, Vyacheslav Volodin", disse Cavusoglu.

    Isolamento

    Em seguida, o ministro esclareceu a posição de seu país sobre a possibilidade de ficar isolado.

    "Por que a Turquia deve temer ficar em isolamento? Nós combatemos o terrorismo, e ele é um inimigo comum", afirmou Cavusoglu.

    A partir desta lógica, o chanceler turco crê que seu país deve receber o apoio de outros Estados em sua luta contra os curdos.

    "Eu não acho que a Rússia seja contra a operação. Alguns temas sensíveis preocupam a Rússia, tais como a integridade territorial e a unidade do país. Nós também estamos preocupados. Se observarmos todas as declarações conjuntas da Turquia, Rússia e Irã, nós sublinhamos [a necessidade da manutenção da integridade territorial do país]", argumentou Cavusoglu.

    O Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e seu braço armado, as Unidades de Proteção Popular (YPG), foram classificados pelo chanceler como "terroristas".

    "Esta organização terrorista [YPG] segue uma agenda separatista e deseja dividir o país. Nós nos esforçamos para impedir isso. Nós lutamos contra o terrorismo junto com a Rússia. Por isso a Rússia nos apoiou na ONU. Se algum país tem duplos padrões em relação à nossa luta com o terrorismo, isso é problema deles. Nós não temos medo de ficarmos isolados, já que a verdade está do nosso lado por estarmos determinados a lutar contra o terrorismo", declarou o chanceler.

    Em relação às possíveis sanções que os Estados Unidos podem impor ao país, a autoridade disse que a resposta estaria no site do Ministério das Relações Exteriores da Turquia.

    Mais:

    Turquia registra 2ª baixa em operação na Síria, diz Ministério da Defesa
    Avião de vigilância da Turquia teria sido abatido sobre província síria de Hasakah
    Turquia volta a bombardear posições curdas na Síria (VÍDEO)
    Tags:
    Síria, isolamento, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar