06:02 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Combatentes rebeldes apoiados pela Turquia na cidade fronteiriça de Akcakale

    Putin: é preciso libertar Síria da presença militar estrangeira

    © REUTERS / Khalil Ashawi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    12584
    Nos siga no

    É preciso libertar Síria da presença militar estrangeira, isso se refere a todos os países, diz presidente da Rússia Vladimir Putin.

    A Rússia está discutindo abertamente a questão de inadmissibilidade da presença estrangeira ilegítima na Síria com os parceiros do Irã, Turquia e EUA, disse o presidente russo em entrevista a mídias árabes na véspera da visita à Arábia Saudita.

    O presidente sublinhou que todos os que estão na Síria de forma ilegítima devem sair do país, adicionando que isso abrange todos os países.

    "E tal como eu lhe direi agora, eu disse abertamente aos meus colegas: o território da Síria deve ser libertado da presença militar estrangeira e a integridade territorial da República Árabe Síria deve ser completamente restabelecida", disse Vladimir Putin.

    "Se as futuras autoridades legítimas da Síria disserem que eles não precisam mais da presença das Forças Armadas da Rússia, isso também se refere à Federação da Rússia, com certeza", declarou o presidente russo em entrevista ao RT Arabic.

    Operação Fonte de Paz

    A atenção dos líderes mundiais está focada nesta região do Oriente Médio devido à operação militar da Turquia, chamada de Fonte de Paz, lançada nesta quarta-feira (9) pelo presidente turco Recep Erdogan.

    Segundo informou o Ministério da Defesa da Turquia no sábado (12), desde o início da operação 415 "terroristas" foram neutralizados no nordeste da Síria.

    Mais:

    'Traição' dos EUA fará curdos lidarem com Damasco, diz ex-enviado britânico para Síria
    Síria: carro-bomba explode próximo à prisão em área dominada pelos curdos
    Pentágono confirma que americanos ficaram sob fogo turco na Síria
    Tags:
    Vladimir Putin, Rússia, Turquia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar