17:33 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldados turcos

    'Já não vamos ceder': Erdogan responde aos apelos dos EUA para cessar operação na Síria

    © AFP 2019 / OZAN KOSE
    Oriente Médio e África
    URL curta
    994
    Nos siga no

    Ancara continuará sua operação militar na Síria apesar dos apelos dos Estados Unidos, disse o presidente turco Recep Tayyip Erdogan.

    Anteriormente, o chefe do Pentágono, Mark Esper, sugeriu que o Exército turco deveria parar suas ações no território sírio, pois pode colocar em perigo os militares dos EUA e o sucesso na luta contra o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e outros países).

    Entretanto, segundo o líder turco, Washington não respondeu aos apelos de Ancara para que pusesse termo ao apoio às formações curdas.

    "Recebemos ameaças para parar esta operação. Eu disse ao presidente americano Donald Trump e a outros países para "parar com isso" [apoio militar dos EUA às formações curdas], mas não o fizeram. Mas agora nós já não vamos ceder", sublinhou Erdogan.

    O presidente turco observou que as "operações antiterroristas turcas no Iraque e na Síria não são dirigidas contra a integridade territorial desses países". Ele também afirmou que "a Turquia não está lutando com os curdos, mas com organizações terroristas".

    "Ao limpar as organizações terroristas, vamos garantir a segurança de nossas fronteiras e o retorno dos refugiados sírios às suas casas", disse Erdogan.

    Tensões entre Ancara e Washington

    Recentemente o Pentágono confirmou oficialmente que militares dos EUA na vizinhança da cidade síria de Kobani foram sujeitos a fogo de artilharia a partir de posições turcas e especificou que não houve baixas entre o pessoal militar dos EUA.

    O Ministério da Defesa turco disse que tomou todas as medidas necessárias para garantir que o posto de observação dos EUA não fosse danificado pelos bombardeios das forças curdas perto dessa posição militar.

    Além disso, nesta quarta-feira (9) Donald Trump apontou as possíveis respostas dos EUA à operação turca na Síria, entre as quais estariam o envio de milhares de tropas para ganhar militarmente ou dar um forte golpe na Turquia financeiramente e com sanções.

    Mais:

    Avião de vigilância da Turquia teria sido abatido sobre província síria de Hasakah
    Ministro da Defesa da Turquia declara neutralização de 342 'terroristas' na Síria
    Turquia registra 2ª baixa em operação na Síria, diz Ministério da Defesa
    Tags:
    Síria, operação, Recep Tayyip Erdogan, EUA, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar