00:06 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    12301
    Nos siga no

    Forças especiais dos EUA ficaram sob fogo dos militares turcos durante a operação militar no nordeste da Síria, informou a Newsweek.

    Segundo uma fonte do Pentágono, os militares dos EUA consideraram a possibilidade de fazer fogo de resposta em autodefesa, mas abandonaram a ideia depois que o exército turco parou de bombardear.

    O interlocutor da Newsweek disse que Ancara deveria estar a par das posições do contingente militar americano. Ao mesmo tempo, a fonte não pôde precisar o número de militares americanos que ficaram sob fogo turco na cidade de Kobani (Ain al-Arab).

    Mais tarde, o Pentágono confirmou oficialmente que os militares dos EUA na vizinhança da cidade síria de Kobani foram sujeitos a fogo de artilharia a partir de posições turcas e especificou que não houve baixas entre o pessoal militar dos EUA.

    Comentários do lado turco

    O chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, Mark Milley, discutiu a situação na Síria com o chefe do Estado-Maior turco Yasar Guler.

    O Ministério da Defesa turco disse que tomou todas as medidas necessárias para garantir que o posto de observação dos EUA não fosse danificado pelos bombardeios das posições curdas perto dessa posição militar.

    Mais:

    Criticado por ação na Síria, Erdogan ameaça enviar milhões de refugiados para a Europa
    Primeiro soldado turco morre durante operação na Síria, informou Ministério da Defesa
    Síria: carro-bomba explode próximo à prisão em área dominada pelos curdos
    Tags:
    bombardeiros, Síria, Pentágono, EUA, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar