21:58 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Coalizão da aviação dos países árabes causou ataques aéreos contra a residência do ex-presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh

    Iêmen promete acabar com tentativas de dividir país

    © Sputnik / Stringer
    Oriente Médio e África
    URL curta
    449
    Nos siga no

    O novo ministro das Relações Exteriores do Iêmen fez críticas aos rebeldes houthis, ao Irã e os Emirados Árabes Unidos durante seu discurso na Assembleia Geral da ONU.

    Mohammed Abdullah al-Hadrami chamou o Irã de "o principal patrocinador do terrorismo em todo o mundo" e pediu o fim do "golpe de estado iraniano-houthi no Iêmen". Ele agradeceu à Arábia Saudita por ajudar seu governo reconhecido internacionalmente a resistir à "milícias houthis que sonham com uma teocracia".

    Al-Hadrami disse à Assembleia Geral da ONU neste sábado (28) que ataques contra o sul do país, atribuídos pelo chanceler aos Emirados Árabes Unidos, tem como objetivo "minar a estabilidade de nossa pátria" e atrapalham a campanha da Arábia Saudita.

    Uma coalizão internacional liderada pela Arábia Saudita luta contra os houthis desde 2015 em nome do governo do Iêmen. A guerra civil matou dezenas de milhares de pessoas e desencadeou a pior crise humanitária do mundo no país mais empobrecido do mundo árabe.

    Al-Hadrami disse esperar que "nos encontremos no próximo ano, numa época em que a paz tenha reinado no Iêmen".

    Mais:

    Coalizão saudita nega ataque contra prisão no Iêmen que teria deixado 100 mortos
    Iêmen acusa Emirados Árabes de ataque contra empresa de energia iemenita
    Surge VÍDEO de ataque aéreo ao Iêmen com supostos lançadores de foguetes do Brasil
    EUA não vão acabar com guerra no Iêmen culpando o Irã, diz Zarif
    Irã pede que Arábia Saudita ponha um fim na guerra contra Iêmen
    Tags:
    Assembleia Geral da ONU, ONU, Arábia Saudita, Iêmen
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar