10:26 13 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Mísseis iranianos exibidos durante uma parada por ocasião do Dia Nacional do Exército (foto de arquivo)

    Inimigo será aprisionado e derrotado caso viole Irã, adverte major-general iraniano

    © AP Photo / Ebrahim Noroozi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6261
    Nos siga no

    O major-general Mohammad Hossein Baqeri, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas iranianas, declarou que o resultado de qualquer guerra contra o Irã será aprisionamento e derrota do inimigo.

    "Temos dito repetidamente ao inimigo que se houver qualquer violação relacionada ao Irã, eles enfrentarão a mesma ação que ocorreu com o drone americano e o petroleiro britânico", afirmou o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas do Irã, major-general Mohammad Hossein Baqeri, citado pela agência de notícias Tasnim.

    Mohammad Hossein Baqeri acrescentou que o Irã não tem nenhuma inimizade contra a Arábia Saudita nem contra os Emirados Árabes Unidos.

    Anteriormente, o presidente do Irã, Hassan Rouhani, ressaltou que seu país não permitirá que ninguém viole suas fronteiras. Além disso, o comandante da Marinha do Irã, Hossein Khanzadi, deixou claro que Teerã está preparada para defender suas fronteiras marítimas e responder "esmagadoramente" a qualquer agressão inimiga.

    Aumento de tensões

    As tensões entre o Irã e a Arábia Saudita dispararam na semana passada com os ataques a refinarias sauditas da petrolífera estatal Aramco Saudita, ocasionando paralização temporária da maior refinaria do mundo, aumento do preço do petróleo e da incerteza no mercado mundial.

    O movimento iemenita Houthis se responsabilizou pelos ataques às refinarias, mas os Estados Unidos responsabilizaram o Irã. Por sua vez, Teerã refutou as acusações.

    Em 21 de setembro, os EUA enviaram o destróier Nitze para a costa nordeste da Arábia Saudita, em uma tentativa de "preencher a lacuna" na defesa antiaérea saudita.

    Em agosto, os Estados Unidos convocaram Austrália, França, Alemanha, Japão, Noruega, Coreia do Sul, Reino Unido e outras nações a se unirem em uma coalizão que garantiria a passagem marítima segura pelas vias estratégicas do golfo por meio de vigilância aérea e navios-patrulha.

    Mais:

    Chanceler do Irã é impedido de viajar dentro dos EUA
    Irã está disposto a discutir acordo permanente com os EUA, diz chanceler
    Irã diz que EUA exageram a magnitude do ataque a Saudi Aramco
    Tags:
    general, resposta militar, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar