03:17 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Incêndio em escola corânica de Paynesville, no subúrbio de Monróvia, na Libéria

    Incêndio em escola deixa vários mortos, a maioria crianças, na Libéria

    © AP Photo / Jonathan Paye-Layleh
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1 0 0
    Nos siga no

    Um grande incêndio atingiu hoje uma escola corânica na Libéria, matando 26 crianças e dois professores, em um dos piores desastres a atingir o país africano nos últimos anos.

    De acordo com fontes policiais citadas pela AFP, as vítimas estavam descansando em um dormitório, durante a madrugada, quando o mesmo foi atingido pelas chamas, possivelmente provocadas por um problema elétrico.

    Após o incidente, o presidente liberiano, George Weah, visitou a instituição, localizada em Paynesville, nos arredores da capital, Monróvia, e disse que a causa da tragédia ainda não havia sido esclarecida.

    "Nós estamos aqui para encorajar os pais das vítimas a ter força, porque é doloroso perder nossas crianças dessa maneira", afirmou o político, segundo a Agence France-Presse. 

    Minhas orações vão para as famílias das crianças que morreram ontem à noite na cidade de Paynesville; como resultado de um incêndio mortal que tomou conta do prédio da escola. Este é um momento difícil para as famílias das vítimas e para toda a Libéria. As condolências mais profundas vão para os enlutados.

    ​Representantes do escritório presidencial disseram que os 26 estudantes mortos no incêndio teriam entre 10 e 20 anos. As idades dos dois adultos não foram informadas.

    Mais:

    Incêndio em navio mata mais de 30 pessoas na Califórnia, segundo relatos (FOTO)
    Fogo em Londres: mais de 120 bombeiros combatem incêndio em edifício de 3 andares (VÍDEOS)
    Rio de Janeiro volta a ser atingido por incêndio, em prédio residencial da Tijuca (FOTO, VÍDEOS)
    Sobe para 14 o número de mortos no incêndio do hospital Badim
    Tags:
    AFP, chamas, fogo, escola, crianças, incêndio, Monrovia, África, George Weah, Libéria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar