18:03 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei

    Teerã não pretende negociar com Washington, afirma líder supremo

    © AP Photo/ Office of the Iranian Supreme Leader
    Oriente Médio e África
    URL curta
    10171
    Nos siga no

    O líder supremo iraniano, Ali Khamenei, declarou nesta terça-feira (17), que não negociará com Washington sob nenhuma circunstância.

    "A política de pressão máxima não vale um centavo para a nação iraniana e todos os altos funcionários da República Islâmica estão unidos em acreditar que não haverá nenhuma negociação com os EUA seja a que nível for", afirmou.

    ​1. Negociação com os EUA significa a imposição das suas exigências ao Irã. 2. Negociação significa uma demonstração do sucesso da política de máxima pressão dos EUA. É por isso que o respeitado Presidente, FM e outros declararam unanimemente que não negociaremos com os EUA, seja bilateral ou multilateralmente.

    Recentemente, o presidente iraniano, Hassan Rouhani, afirmou que conversações com os EUA só seriam possíveis se os norte-americanos desistissem das sanções contra o Irã.

    Além do presidente, o parlamentar iraniano Alaeddin Boroujerdi havia afirmado que os norte-americanos teriam de considerar os interesses iranianos, já que o país pretende desenvolver e fortalecer as relações com todos os países, mas que os EUA não demonstram qualquer interesse além de violarem as normas e leis internacionais.

    Líder supremo iraniano, Ali Khamenei, discursa em reunião em Teerã, Irã, outubro de 2017
    Líder supremo iraniano, Ali Khamenei, discursa em reunião em Teerã, Irã, outubro de 2017

    Por sua vez, o governo norte-americano havia afirmado que estava pronto para negociar com o Irã sem pré-condições.

    "Estamos prontos para conduzir negociações sem pré-condições", afirmou Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA.

    Com isso, o governo dos EUA deixou claro que não pretende anular as sanções impostas aos iranianos.

    As tensões entre os dois países aumentaram depois de os EUA deixarem o Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), em maio de 2018, restabelecendo as sanções contra Teerã.

    Mais:

    China ignora sanções dos EUA e 'abre porta' para petróleo iraniano, indica mídia
    Hong Kong rejeita acusações dos EUA de ter violado sanções iranianas
    EUA ameaçam impor sanções a quaisquer importações do petróleo iraniano
    Tags:
    tensão, EUA, petróleo, sanções, Negociação, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar