19:33 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Chanceler do Irã Mohammad Javad Zarif

    EUA não vão acabar com guerra no Iêmen culpando o Irã, diz Zarif

    © AP Photo / Petr David Josek
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6190
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, disse neste domingo (15) que os Estados Unidos não acabarão a guerra no Iêmen culpando o Irã por tudo.

    No sábado (14), ataques com drones causaram incêndios em duas instalações de petróleo da Saudi Aramco. Os incêndios, em particular, atingiram a refinaria de Abqaiq, na província oriental, e uma instalação de processamento de petróleo perto do campo de petróleo de Khurais, localizada a cerca de 160 quilômetros a leste de Riade.

    Os rebeldes houthis iemenitas assumiram a responsabilidade pelos ataques, enquanto o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, acusou o Irã pelos ataques.

    Sobre isso, Zarif teceu os seguintes comentários no Twitter:

    ​Tendo falhado a "pressão máxima, @SecPompeo está se voltando para o "engano máximo". Os EUA e seus clientes estão sem saída no Iêmen por causa da ilusão de que a superioridade das armas levará à vitória militar. Culpar o Irã não terminará o desastre.

    No início do dia, o Ministério das Relações Exteriores do Irã afirmou que as alegações de Pompeo são falsas.

    Os rebeldes houthis conduzem ataques regulares com drones contra instalações na Arábia Saudita, que fornece apoio aéreo ao governo internacionalmente reconhecido do Iêmen em sua luta contra os houthis desde 2015.

    Mais:

    Senador dos EUA defende ataque contra refinarias do Irã: 'quebrará a base do regime'
    Pompeo acusa Irã de lançar 'ataque sem precedentes a suprimento de energia mundial'
    Surge VÍDEO de ataque aéreo ao Iêmen com supostos lançadores de foguetes do Brasil
    Produção de petróleo da Saudi Aramco cai para metade após ataque de drones
    Tags:
    Houthis, Riade, Arábia Saudita, Estados Unidos, Mike Pompeo, Iêmen, Irã, Mohammed Javad Zarif
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar