05:30 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Plataforma de petróleo em Soroush, Irã em 25 de Julho de 2005

    Irã atinge novo recorde no comércio de hidrocarbonetos apesar das sanções impostas pelos EUA

    © REUTERS / Raheb Homavandi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5282
    Nos siga no

    As exportações de gasolina e de gás natural liquefeito do Irã bateram novos recordes, declarou o chefe da Bolsa de Energia do Irã, Seyed Ali Hoseini.

    Durante a semana passada, a República Islâmica forneceu ao Iraque, Afeganistão, Turquia e Paquistão um total de 110.000 toneladas de gasolina e 106.000 toneladas de gás natural liquefeito no valor de US$ 72 milhões e US$ 30 milhões respetivamente, escreve portal hispantv. 

    De acordo com os dados estatísticos publicados pelo governo iraniano citados pelos meios de informação locais, a produção de gasolina ultrapassou os 115 milhões de litros por dia enquanto o Teerã necessitava de apenas 90 milhões de litros para satisfazer suas necessidades domésticas.

    O combustível iraniano tem uma vantagem em relação a outros países porque contém menos enxofre e cumpre com os últimos requisitos que se colocam à gasolina na questão de proteção do meio ambiente.

    Há mais de um mês que o Irã começou a se livrar das grandes reservas destes produtos para compensar as perdas que foram causadas pelas sanções estadunidenses. Desde novembro de 2018, as restrições impostas pelos EUA ao Irã têm estado dificultando o fornecimento dos hidrocarbonetos iranianos.

    "Em menos de dois anos, inauguramos três fases importantes da maior refinaria de condensados do mundo. Isto mostra o fracasso das sanções", destacou Hasan Rouhani no início deste ano.

    As tensões entre os dois países aumentaram depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, se retirar do Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), em maio de 2018, restabelecendo as sanções contra Teerã. As medidas impostas atingem setores estratégicos do país persa, tais como a exportação de petróleo.

    Mais:

    Irã incentiva China e outros aliados a comprarem mais petróleo em meio a sanções dos EUA
    Irã dá prazo de 2 meses para acordo nuclear ser negociado com as partes
    Tags:
    petróleo, sanções, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar