10:24 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Riad, capital da Arábia Saudita

    Arábia Saudita nomeia príncipe veterano como ministro da Energia

    © AP Photo / Markus Schreiber
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 101
    Nos siga no

    O rei da Arábia Saudita nomeou seu filho, o príncipe Abdulaziz bin Salman, como ministro da Energia neste domingo (8).

    Ele irá substituir Khalid al-Falih e, pela primeira vez, o portfólio do maior exportador mundial de petróleo será administrado por um membro da família real. 

    O príncipe Abdulaziz, um membro de longa data da delegação saudita na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), tem décadas de experiência no setor e não deve alterar as políticas petrolíferas na Arábia Saudita ou na OPEC. 

    O novo ministro ajudou a negociar o atual acordo entre a OPEP e os países não membros da OPEP, um grupo conhecido como OPEP +, para diminuir a oferta global de petróleo com o objetivo apoiar os preços e equilibrar o mercado.

    O príncipe, de 59 anos, é meio-irmão mais velho do poderoso príncipe herdeiro Mohammed bin Salman. Ele foi nomeado ministro de Estado para assuntos de energia em 2017 e trabalhou em estreita colaboração com o ex-ministro do petróleo Ali al-Naimi por anos como vice.

    Alguns especialistas do setor dizem que sua longa experiência ajudou a superar uma regra não escrita contra a nomeação de um membro da família real para dirigir o portfólio de petróleo na Arábia Saudita.

    Mais:

    Houthis afirmam ter matado e ferido várias pessoas em ataque a aeroporto saudita
    Coalizão saudita destrói 2 drones lançados do Iêmen por Houthis
    Venda de 8 refinarias da Petrobras atrai empresas chinesas e sauditas, diz agência
    Houthis atacam aeroporto saudita com míssil de cruzeiro
    Coalizão saudita nega ataque contra prisão no Iêmen que teria deixado 100 mortos
    Tags:
    Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), Mohammed bin Salman, Arábia Saudita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar