11:20 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Instalação nuclear iraniana a 410 km de Isfahan (arquivo)

    AIEA: Irã segue violando acordo nuclear de 2015

    © AP Photo / Vahid Salemi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    873
    Nos siga no

    A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirmou que Teerã segue violando termos do acordo nuclear firmado em 2015 com as potências do grupo P5+1, segundo um relatório publicado nesta sexta-feira.

    De acordo com esse documento confidencial distribuído para os Estados-membros do órgão e consultado pela agência AP, o estoque de urânio pouco enriquecido do Irã ainda excede o limite permitido pelo chamado Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), assinado há quatro anos por Irã, Alemanha, China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia. 

    ​O JCPOA estabelece um teto de 3,67% de enriquecimento para o urânio iraniano. Mas, atualmente, segundo a AIEA, o país estaria enriquecendo urânio a 4,5%. 

    Tais violações foram anunciadas pelo próprio governo iraniano e confirmadas pela AIEA no último mês. Elas têm como objetivo pressionar os signatários do acordo a fornecer novos incentivos econômicos para ajudar a equilibrar os danos provocados pelas novas sanções adotadas pelos EUA, país que deixou unilateralmente o Plano Conjunto de Ação Integral no ano passado. 

    ​Segundo a Agência Internacional de Energia Atômica, o Irã continua permitindo que os inspetores internacionais monitorem suas instalações nucleares.

    Mais:

    Irã descarta negociar programa de mísseis e deseja aumentar vendas de petróleo
    Inclinação de Trump ao diálogo com Irã não muda postura 'severa', diz Bolton
    EUA impõem novas sanções contra Irã por supostas redes de distribuição de mísseis
    Oficial iraniano revela principal motivo de EUA não atacarem Irã
    Tags:
    sanções, JCPOA, acordo nuclear, urânio, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Estados Unidos, Teerã, P5+1, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar