12:58 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Míssil de cruzeiro iraniano Hoveizeh 8

    Irã apresenta modelo de novíssimo míssil de cruzeiro no salão internacional aeroespacial (FOTO)

    © AP Photo / Vahid Salemi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7495
    Nos siga no

    Modelo do novíssimo míssil de cruzeiro iraniano é exibido pela 1ª vez no Salão Aeroespacial Internacional MAKS 2019.

    Este míssil de cruzeiro foi desenvolvido pelas empresas da Organização da Indústria Aeronáutica do Irã, o armamento se chama Mobin.

    Irã exibe o míssil de cruzeiro Mobin com motor a jato no MAKS 2019. Os expositores dizem que o míssil entrou em serviço no ano passado.

    De acordo com os dados divulgados, o comprimento do míssil é de três metros, o alcance é de até 450 quilômetros, além disso, o peso útil do míssil chega até aos 670 quilogramas, tendo o peso da ogiva 120 quilogramas, sua velocidade máxima chega até aos 900 quilômetros por hora.

    O corpo do míssil tem uma forma especial, que diminui a probabilidade de ser detectado pelo inimigo.

    Para orientação do míssil planeja-se usar sistemas eletrônicos semelhantes àqueles que estão sendo usados nos mísseis estrangeiros, inclusive nos mísseis de cruzeiro estadunidenses Tomahawk.

    Prevê-se que sejam criadas versões para uso tanto a partir de lançadores de mísseis terrestres como navais e de portadores aéreos.

    Em junho deste ano, Teerã apresentou um novo sistema de defesa antiaérea de produção nacional, chamado Khordad 15. De acordo com os militares iranianos, o sistema é capaz de derrubar aviões e drones a uma distância de 120 km e à altitude máxima de 27 km, além de rastrear "objetos invisíveis" e os interceptar a 45 km de distância.

    Mais:

    Irã diz ser capaz de detectar vários tipos de aeronaves furtivas modernas
    Resposta do Irã à agressão dos EUA 'seria implacável e desproporcional', avisa especialista
    Tags:
    armamento, Tomahawk, Irã, míssil de cruzeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar