04:14 20 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    24591
    Nos siga no

    No mês passado, o Tesouro dos EUA impôs sanções à trading chinesa de petróleo Zhuhai Zhengrong Ltd. e seu CEO, Youmin Li, depois de um relato da Bloomberg ter acusado a China de contornar as duras sanções norte-americanas ao Irã.

    A China continuou com as importações de petróleo bruto iraniano em julho, dois meses após o término das isenções de sanções dos EUA, mostraram as pesquisas de três empresas que acompanham o comércio de petroleiros, informou Reuters.

    De acordo com os dados, os petroleiros descarregaram entre julho e julho, entre 4,4 milhões e 11 milhões de barris de petróleo na China, e acredita-se que parte do petróleo tenha ido para as reservas estratégicas de petróleo da China.

    A insistência chinesa em continuar as importações do Irã é uma "dor de cabeça" para o governo Trump, que recentemente estimou que entre 50 e 70 por cento das exportações de petróleo do Irã agora se dirigem para a China, com 30 por cento a mais para a Síria.

    Na semana passada, o vice-presidente iraniano, Eshaq Jahangiri, instou a China e outros países a comprarem ainda mais petróleo iraniano, dizendo que as ameaças de sanções dos EUA não colapsaram a economia iraniana.

    Em 23 de julho, Pequim condenou veementemente as "sanções ilegais [dos EUA] contra empresas e indivíduos" dos, depois que Washington impôs restrições a um importador de petróleo chinês, classificando as sanções como "aleatórias" e enfatizando que elas eram "uma violação da lei internacional".

    A China é o único grande importador tradicional de petróleo bruto iraniano a não se submeter à pressão das sanções americanas. A maioria dos outros importadores, incluindo Índia, Itália, Japão, Coréia do Sul, Grécia e Turquia, suspenderam as importações com medo das sanções norte-americanas.

    No mês passado, autoridades dos EUA informaram à imprensa que o Departamento de Estado estava considerando abrir uma exceção para a China em sua estratégia de sanções contra o Irã, porque não havia muito o que Washington poderia fazer para responder a Pequim.

    Mais:

    Irã incentiva China e outros aliados a comprarem mais petróleo em meio a sanções dos EUA
    Irã se junta à China e critica EUA e Reino Unido por ingerência em assuntos chineses
    Rússia, China, Irã e Venezuela usarão criptomoedas para desafiar EUA, diz relatório
    Tags:
    EUA, petróleo, China, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar