02:51 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Barras de ouro empilhadas em cofre na Casa da Moeda dos Estados Unidos, Nova York, em 22 de julho de 2014 (imagem de arquivo)

    China recebe contratos lucrativos para fundição e refino de ouro na África

    © AP Photo / Mike Groll, File
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4250
    Nos siga no

    Pequim está aumentando suas reservas de ouro, liderando junto com a Rússia na aquisição deste metal precioso em 2018 e no primeiro semestre de 2019.

    A Tanzânia, 4° maior produtor de ouro no continente africano depois do Gana, Mali e África do Sul, liberou contratos a duas empresas chinesas para a construção de uma fundidora de ouro e duas refinarias no país, informou Doto Biteko, ministro dos Minerais do país.

    Segundo o ministro, a decisão foi tomada após minuciosa avaliação da capacidade financeira e da história das empresas.

    O próximo passo será autorizar a construção de grandes minas de ouro, que serão entregues às duas empresas. Cada uma das delas investirá cerca de 100 milhões de dólares, disse o ministro. O país espera impulsionar a produção nacional de ouro e as receitas do Estado oriundas da sua venda, atraindo empresas estrangeiras.

    O governo de Tanzânia tomou medidas para aumentar os lucros provenientes das riquezas naturais, embora parte significativa do ouro continue saindo ilegalmente do país.

    Em 2018, os bancos centrais dos vários países compraram mais ouro do que em qualquer outro ano desde 1971. A tendência segue em 2019. A China se tornou o segundo maior comprador de metais preciosos em 2018 e 2019, depois da Rússia.

    Mais:

    Análise: valorização do ouro é alerta sobre possível queda da moeda norte-americana
    'Ouro é dinheiro': por que EUA se opõem ao uso do metal precioso nas transações globais?
    Quem é o predador? EUA fazem pouco, mas criticam investimentos de China e Rússia na África
    Tags:
    China, África, ouro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar