06:40 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang durante um briefing diário no escritório do Ministério das Relações Exteriores em Pequim (arquivo)

    China responsabiliza EUA por crise do acordo nuclear no Irã

    © AP Photo / Andy Wong
    Oriente Médio e África
    URL curta
    591

    A China lamentou a decisão do Irã de reduzir ainda mais o cumprimento de seus compromissos com o acordo nuclear de 2015.

    Ao mesmo tempo, o governo do país asiático atribui a culpa pela atual crise à pressão excessiva dos Estados Unidos, conforme declaração desta segunda-feira (8) de Geng Shuang, porta-voz da chancelaria chinesa.

    O Irã anunciou em maio que havia descontinuado parcialmente seus compromissos sob o Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA) e deu à Europa 60 dias para garantir que os interesses do Irã fossem protegidos pelo acordo.

    O prazo dado pelo Irã aos países europeus expirou no domingo (7), e Teerã anunciou que o país estava preparado para começar a enriquecer urânio além do limite de 3,67% - que foi o estabelecido pelo JCPOA.

    "Eu gostaria de enfatizar que a 'pressão máxima' exercida pelos EUA é a causa da recente crise. Os EUA não apenas se retiraram do acordo, mas também estabeleceram mais e mais obstáculos para o Irã e outras partes [do acordo] através de sanções unilaterais", disse Geng em uma coletiva de imprensa, conforme citação do Ministério.

    "Garantir a implementação plena e efetiva do JCPOA é tanto a exigência da resolução do Conselho de Segurança da ONU quanto a única maneira viável de aliviar as tensões e resolver esse problema", afirmou Geng.

    Mais:

    França pede que Irã cumpra acordo nuclear
    AIEA confirma: Irã ultrapassou o limite de enriquecimento de urânio
    Chefe da Guarda Revolucionária: mundo sabe que Irã não está atrás de uma arma nuclear
    EUA vão aumentar pressão até o Irã encerrar programa nuclear, diz Bolton
    Tags:
    Teerã, Geng Shuang, Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), Irã, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar