04:55 21 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    720
    Nos siga no

    O Conselho de Segurança da ONU convocou todas as partes do conflito na Líbia a cessar o fogo imediatamente.

    "Os membros do Conselho de Segurança condenaram o ataque ao centro de detenção (de imigrantes) nos arredores de Trípoli realizado em 2 de julho, no qual 53 pessoas morreram e mais de 130 ficaram feridas", informou o comunicado do CS da ONU.

    O documento acrescenta que no Conselho de Segurança reitera "a necessidade de todas as partes reduzirem urgentemente o nível de tensão e cessar o fogo".

    "Uma paz duradoura e estabilidade na Líbia só serão possíveis graças a uma solução política", destaca o documento.

    Além disso, o Conselho de Segurança da ONU pediu aos países membros da organização que não intervenham no conflito na Líbia.

    "Os membros do Conselho de Segurança ressaltaram a importância da soberania, independência e integridade territorial da Líbia e pediram a todos os Estados membros que não intervenham no conflito e evitem medidas que o agravem", destacou a mensagem do órgão.

    O Governo do Acordo Nacional, com base em Trípoli, reconhecido pela ONU, acusou as tropas do Exército Nacional da Líbia, controladas por Khalifa Haftar, de atacar o centro de detenção em Tajura, a leste de Trípoli.
    Já o Exército Nacional da Líbia nega o seu envolvimento no ataque, acusando os grupos controlados pelo Governo do Acordo Nacional de estar por trás do bombardeio.

    Em 3 de julho, o enviado especial do secretário-geral da ONU para a Líbia, Ghasan Salamé, classificou o ataque aéreo como um crime de guerra.

    O Governo do Acordo Nacional está atualmente operando em Trípoli, reconhecido como legítimo pelo Conselho de Segurança da ONU e presidido por Fayez al Sarraj.

    No entanto, este Executivo não é considerado legítimo pela Câmara dos Representantes, um parlamento unicameral baseado na cidade de Tobruk, com o seu próprio governo e apoiado pelo Exército de Haftar.
    Em 4 de abril, Haftar iniciou uma ofensiva contra Trípoli para "libertá-la de terroristas".

    Mais:

    Representante russo: ONU não tem ideia para resolver crise na Líbia
    Forças de Haftar afirmam ter destruído drone da Turquia na Líbia
    Tropas de Haftar abatem drone das forças do governo do Acordo Nacional da Líbia
    Tags:
    Trípoli, Khalifa Haftar, Líbia, ONU
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar