10:30 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Manifestante na capital do Sudão, Cartum, em 03 de junho de 2019

    Sete pessoas morreram e 181 estão feridas após protestos no Sudão

    © AP Photo /
    Oriente Médio e África
    URL curta
    111

    O número de mortos durante protestos contra o governo, realizados neste domingo no Sudão, é de pelo menos sete pessoas, informou a imprensa.

    Além dos mortos, 181 pessoas ficaram feridas, informou a mídia local, citando o Ministério da Saúde do país.

    Neste domingo, a emissora Al-Arabiya informou que franco-atiradores desconhecidos abriram fogo contra civis e membros das forças de segurança do país, durante as manifestações que exigem a transição do poder para um governo civil. Mais tarde no mesmo dia, o Comitê Central de Médicos do Sudão informou a morte de cinco pessoas na capital do país, Cartum.

    Manifestantes sudaneses em Cartum comemoram do ministro da Defesa, Awad Ibn Auf, renunciar ao cargo de chefe do conselho militar de transição do país.
    © Foto : Stringer
    Manifestantes sudaneses em Cartum comemoram do ministro da Defesa, Awad Ibn Auf, renunciar ao cargo de chefe do conselho militar de transição do país.

    A agência de notícias SUNA informou que 27 pessoas dos 181 feridos sofreram ferimentos por arma de fogo.
    O Conselho Militar de Transição do Sudão responsabilizou a oposição por todas as potenciais consequências dos protestos deste domingo. Um correspondente da Sputnik informou que a polícia sudanesa usou gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes.

    Meses de protestos contra o governo no Sudão culminaram em um golpe militar, realizado no dia 11 de abril. O então presidente Omar Bashir, que esteve no poder por 30 anos, foi destituído e depois preso. O Conselho Militar de Transição chegou ao poder e prometeu realizar uma nova eleição dentro de dois anos. No entanto, os protestos continuaram, com os manifestantes exigindo que os militares entregassem o poder a um governo civil.

    A situação na capital do Sudão e em todo o país deteriorou-se drasticamente no dia 3 de junho, quando os militares sudaneses dispersaram parte do acampamento de protesto em Cartum, matando mais de 100 civis. A oposição respondeu com uma greve e ações de desobediência civil e exige a transferência de poder para um governo civil o mais rápido possível.

    Tags:
    militares, mortes, protestos, Cartum, Sudão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar