01:32 18 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Líder supremo iraniano, Ali Khamenei, discursa em reunião em Teerã, Irã, outubro de 2017

    Oferta dos EUA para conversar é só mais uma 'enganação', afirma líder iraniano

    © AP Photo/ Sem credencial
    Oriente Médio e África
    URL curta
    980

    Em vez de buscar um compromisso, os EUA simplesmente usam as negociações para pressionar o Irã a se submeter, disse o líder supremo Ali Khamenei, um dia antes de Teerã estar pronto para impulsionar a produção de urânio para além do que foi acordado no acordo de 2015.

    Oferecer-se para conversar é apenas mais uma maneira de os EUA forçarem o Irã a entregar sua posição, alertou Khamenei nesta quarta-feira.

    "Negociações são sua maneira de enganar para [dar-lhes] o que eles querem. Você segura a arma e o outro lado não ousa se aproximar de você. Então, eles dizem soltar sua arma para que eu possa fazer mal a você. É isso que eles querem dizer com negociações", escreveu Khamenei no Twitter.

    Khamenei declarou ainda que Washington "fracassou em atingir seus objetivos ao pressionar" o Irã e continuará a fazê-lo no futuro.

    Um dia antes, o assessor de segurança nacional dos EUA, John Bolton, afirmou que os EUA estão "mantendo a porta aberta para negociações reais" com Teerã. Para aproveitar esta oportunidade, o Irã deve preencher uma lista de várias demandas dos EUA, incluindo o fim do "comportamento maligno em todo o mundo", afirmou ele.

    Teerã, por sua vez, diz que mantém a porta aberta para qualquer conversa, mas deixou claro que nenhuma negociação significativa é possível, desde que Washington continue impondo sanções e se atenha à sua "pressão máxima".

    Líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, perto de um sistema 3 Khordad que teria sido usado para abater um drone militar americano
    © REUTERS / Handout
    Líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, perto de um sistema Khordad 3 que teria sido usado para abater um drone militar americano

    O conflito de longa data entre Washington e Teerã começou a aumentar no ano passado, depois que os EUA deixaram unilateralmente o acordo nuclear de 2015 sobre o Irã, conhecido como o JCPOA. Em maio, o Irã alertou a União Europeia (UE), também signatária do acordo, que suspenderá parcialmente suas obrigações sob o acordo, a menos que os europeus negociem o levantamento das sanções dos Estados Unidos.

    O Irã depois esclareceu que em 27 de junho sua produção de urânio enriquecido ultrapassará o limite de 300kg estabelecido pelo JCPOA. O porta-voz da agência de energia nuclear do país, Behrouz Kamalvandi, confirmou que o prazo expirará nesta quinta-feira. A partir desse ponto, o estoque de urânio continuará a crescer, disse ele.

    "Com o fim desse prazo [em 27 de junho], o ritmo de enriquecimento acelerará", completou.

    Mais:

    Petróleo a US$ 300: por que guerra entre Irã e EUA seria uma catástrofe para economia global?
    Qualquer passo errado pode conduzir a confronto aberto entre EUA e Irã, avisa cientista político
    Trump: possível guerra com Irã 'não vai durar muito'
    Tags:
    diplomacia, sanções, guerra, John Bolton, Donald Trump, Aiatolá Ali Khamenei, Estados Unidos, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar