10:52 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento de um míssil balístico pelo Irã

    Guarda Revolucionária: bases e porta-aviões dos EUA estão ao alcance dos mísseis iranianos

    © AP Photo / Amir Kholousi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    8182
    Nos siga no

    As tensões entre o Irã e os EUA escalaram depois que um míssil iraniano abateu um drone dos EUA. Trump prometeu "responder" com um ataque em larga escala contra alvos no Irã, mas recuou no último momento, pois ataques não seriam "proporcionais".

    Os alvos dos EUA, incluindo bases regionais e o porta-aviões USS Abraham Lincoln, estão dentro do alcance dos mísseis iranianos e Washington sabe disso, afirmou nesta sexta-feira o comandante da Força Aeroespacial da Guarda Revolucionária Islâmica, general de brigada Amir Ali Hajizadeh.

    "As forças dos EUA na região eram uma ameaça, mas agora são uma oportunidade [para o Irã] ... Eles (os EUA) não falam sobre guerra com o Irã, porque sabem como são suscetíveis", disse Hajizadeh em um discurso para televisão iraniana, segundo a Reuters.

    Antes, durante uma coletiva de imprensa e ao lado do que pareciam ser os restos de um drone dos EUA que o Irã disse ter abatido depois de não responder a dois avisos de violação do espaço aéreo, Hajizadeh disse que um avião espião americano com dezenas de militares também estava voando nas proximidades, mas foi poupado, pois destruir o drone serviria como um "aviso para as forças terroristas americanas". O Comando Central dos EUA ainda não comentou as alegações do comandante.

    Mais:

    Bombardeiros nucleares teriam sido avistados no golfo Pérsico em meio a tensões entre EUA e Irã
    Rússia defende que Irã possa voltar a exportar petróleo a níveis anteriores a sanções dos EUA
    EUA não têm recursos suficientes para intervenção militar no Irã, diz analista
    Tags:
    ameaça, guerra, tensões, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar