00:39 18 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Chamas e fumaça de um petroleiro atacado no golfo de Omã (imagem referencial)

    EUA 'não têm interesse' em novos conflitos no Oriente Médio, afirma militar

    © AP Photo / ISNA
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1004
    Nos siga no

    Os Estados Unidos não têm interesse em entrar em um novo conflito no Oriente Médio, mas defenderão os interesses estadunidenses, incluindo a liberdade de navegação, disseram os militares norte-americanos nesta quinta-feira (13) após enviar um destróier a uma cena de ataque no no Golfo de Omã.

    O Comando Central dos EUA disse em comunicado que o destróier USS Mason estava a caminho do local dos ataques que danificaram dois petroleiros no Golfo de Omã no início do dia. O destróier USS Bainbridge permanece em contato próximo com o petroleiro danificado M/V Kokuka Courageous e não tolerará interferência, disse o comunicado.

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse anteriormente que os Estados Unidos acreditam que o Irã é responsável pelos ataques contra os dois navios-tanques por conta de informações de inteligência. Ele não ofereceu nenhuma evidência específica da ligação do episódio com Teerã.

    A embarcação Bainbridge resgatou 21 marinheiros do Kokuka Courageous que abandonaram o navio, disse o comunicado do Comando Central.

    "Os EUA e nossos parceiros na região tomarão todas as medidas necessárias para defender a nós mesmos e nossos interesses", disse o tenente-coronel Earl Brown, porta-voz do Comando Central. "Os ataques de hoje são uma clara ameaça à liberdade internacional de navegação e liberdade de comércio. Não temos interesse em entrar em um novo conflito no Oriente Médio", acrescentou Brown. "Nós defenderemos nossos interesses, mas uma guerra com o Irã não é do nosso interesse estratégico, nem no melhor interesse da comunidade internacional."

    Mais:

    EUA aplicam novas sanções a 2 indivíduos e uma empresa no Iraque por alegadas ligações ao Irã
    Ministro alemão vai ao Irã e diz esperar que acordo com Europa cesse chance de guerra
    Irã salva 44 marinheiros de petroleiros atacados no golfo de Omã
    Khamenei: se o Irã quisesse armas nucleares, os EUA não poderiam fazer nada a respeito
    Tags:
    Irã, Mike Pompeo, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar