13:53 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Papa Francisco é visto no Palácio Apostólico no Vaticano, onde, em reunião formal com os cardeais, foi feita a escolha da data exata para um ofício religioso de canonização de novos santos, em 20 de abril de 2017

    Após assassinato de dezenas de manifestantes, Papa Francisco reza pelo fim da violência no Sudão

    © AP Photo / L´Osservatore Romano
    Oriente Médio e África
    URL curta
    301
    Nos siga no

    O papa Francisco pediu o fim da violência no Sudão e a retomada do diálogo depois que a crise no país se intensificou em 3 de junho, quando a polícia dispersou um protesto próximo ao quartel-general do exército de Cartum matando dezenas de manifestantes.

    "As notícias vindas do Sudão nos dias de hoje evocam dor e preocupação. Vamos orar por este povo para que a violência cesse e o diálogo ajude a encontrar o bem comum", disse o Pontífice ao se dirigir aos fiéis depois de celebrar a Missa de Pentecostes em Praça de São Pedro no Vaticano.

    A declaração vem depois que os policiais sudaneses invadirem em 3 de junho o acampamento montado fora do quartel-general militar para pedir uma transição rápida para o governo civil. Segundo o Ministério da Saúde do Sudão, 46 ​​pessoas foram mortas na repressão. A oposição afirma que o número de mortos aumentou para 100 pessoas.

    O Sudão passa por meses de turbulentos protestos contra o governo, que culminaram em um golpe militar em 11 de abril. O Conselho Sudanês de Transição Militar chegou ao poder e prometeu realizar uma nova eleição dentro de dois anos, prazo considerado inaceitável pelos manifestantes. O ex-presidente Omar Bashir, que esteve no poder por 30 anos, foi destituído e preso.

    Mais:

    Palácio presidencial pega fogo no Sudão
    Crise do Sudão teria sido plano do Ocidente?
    Militares abrem fogo contra manifestantes na capital do Sudão
    Tags:
    Vaticano, Cartum, Sudão, Papa Francisco
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar