05:12 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    A bandeira da Líbia avistada em Manhattan de Nova York.

    Avião militar ataca aeroporto internacional da Líbia em Trípoli, dizem autoridades locais

    © REUTERS / CARLO ALLEGRI
    Oriente Médio e África
    URL curta
    201
    Nos siga no

    A administração do Aeroporto Internacional de Mitiga, na capital líbia de Trípoli, declarou nesta quinta-feira que sua pista foi atingida por ataques de um avião militar em meio a uma recente onda de violência na região.

    "O Aeroporto Internacional Mitiga enfrentou recentemente um ataque aéreo de um avião militar em sua pista", escreveu a administração o aeroporto no Facebook. 

    "Acabamos de receber uma resposta do departamento de controle de tráfego aéreo do aeroporto. Eles disseram que o ataque aéreo estava longe da pista e que as operações normais seguem em andamento", afirmou a nova declaração, publicada no Facebook.

    No início desta semana, o Exército Nacional da Líbia (LNA) disse que repeliu uma ofensiva do rival das forças do Governo do Acordo Nacional (GNA) no aeroporto de Trípoli. Quinze membros da GNA, incluindo seis mercenários do Chade, foram mortos nos confrontos.
    Em abril, o Aeroporto Internacional Mitiga suspendeu temporariamente suas operações em meio a fortes lutas nas proximidades de Trípoli.

    O LNA, apoiado pelo parlamento instalado no leste da Líbia, começou sua ofensiva para recapturar a cidade das forças leais ao GNA ocidental no início de abril. As forças da GNA responderam lançando sua própria ofensiva contra o LNA.

    Desde então, confrontos nas vizinhanças de Trípoli continuam. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o número de pessoas mortas nos confrontos ultrapassou 450 pessoas, enquanto mais de 2.100 pessoas sofreram ferimentos.

    Mais:

    Secretário-geral da ONU pede cessar-fogo na Líbia e fim da ofensiva em Trípoli
    Explosão deixa ao menos 18 feridos na Líbia
    Tags:
    LNA, GNA, crise na Líbia, Conflito na Líbia, Parlamento da Líbia, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar