22:42 15 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Vista de Teerã

    Oficial do Irã aos sauditas: Parem de apoiar os EUA ou sofram com 'decisão chocante'

    © Fotolia / Borna_Mir
    Oriente Médio e África
    URL curta
    13132
    Nos siga no

    Na semana passada, o rei saudita Salman bin Abdulaziz Al Saud acusou o Irã de "apoiar o terrorismo" e pediu que as potências regionais "enfrentem resolutamente" Teerã.

    O assessor especial para assuntos internacionais do presidente do Parlamento iraniano, Hossein Amir-Abdollahian pediu a Riad que pare de ajudar os EUA em sua guerra econômica contra a República Islâmica, sugerindo que haveria consequências se a parceria continuasse.

    "Se os líderes sauditas não deixarem de ajudar e encorajar os EUA em sua guerra econômica contra o Irã, eles devem esperar por sua nova e chocante decisão", escreveu o funcionário em um tweet, sem esclarecer qual "decisão chocante" seria essa.

    "O relógio está correndo tão rápido para a continuidade das políticas sujas sauditas-emirati-israelenses", acrescentou ele, postando uma caricatura com o rei saudita dançando ao lado do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu com pés feitos de bombas.

    Amir-Abdollahian, que é conhecido por ter desempenhado um papel importante na formulação da política iraniana na região nos últimos anos, retweetou o post, originalmente publicado em persa, árabe e inglês.

    A advertência do oficial segue a cúpulas de emergência do Conselho de Cooperação do Golfo e membros da Liga Árabe, convocada pela Arábia Saudita para discutir a suposta ameaça representada pelo Irã para a região. Os encontros aconteceram depois dos ataques do mês passado contra petroleiros na costa dos Emirados Árabes Unidos, atribuídos imediatamente pelos EUA ao Irã. A Arábia Saudita mais tarde seguiu o exemplo, com Salman acusando Teerã de se engajar em "ações subversivas".

    O Irã negou veementemente qualquer envolvimento nos ataques dos petroleiros e pediu à comunidade internacional que investigue os atos de sabotagem. Na semana passada, o chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif, reuniu-se com autoridades iraquianas e pediu aos países do Golfo Pérsico que assinem um pacto de não-agressão com Teerã, em um esforço para aliviar as tensões regionais.

    As relações entre o Irã e a Arábia Saudita, países informalmente vistos como líderes das subdivisões sunita e xiita do islamismo, respectivamente, têm sido ruins há décadas. No início de 2016, Riad cortou todos os laços diplomáticos com Teerã depois que ativistas iranianos atacaram missões diplomáticas sauditas para protestar contra a execução do proeminente clérigo xiita saudita Nimr al-Nimr.

    Mais:

    Pompeo repreende 'regime islâmico' do Irã e diz que EUA podem dialogar sem precondições
    Tags:
    Arábia Saudita, Irã, Benjamin Netanyahu, Riad, Estados Unidos, Hossein Amir-Abdollahian, Salman bin Abdulaziz Al Saud
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar