15:04 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    President Donald Trump speaks during an event in the Rose Garden at the White House to declare a national emergency in order to build a wall along the southern border, Friday, Feb. 15, 2019, in Washington

    Trump: Rússia, Síria e Irã devem parar ataques aéreos contra Idlib

    © AP Photo / Evan Vucci
    Oriente Médio e África
    URL curta
    22416
    Nos siga no

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu à Rússia, Síria e Irã que parem com os bombardeios, supostamente realizados por estes países na província síria de Idlib.

    "Ouvi dizer que a Rússia, a Síria e, em menor grau, o Irã estão bombardeando brutalmente a província de Idlib na Síria e matando indiscriminadamente muitos civis inocentes… O mundo está vendo essa carnificina… Qual é o propósito, o que pretendem? "Parem!", publicou Trump em seu Twitter.

    ​Na província de Idlib, onde os grupos derrotados na luta contra o governo sírio e que se recusaram a depor as armas se abrigaram, existe mais de uma dúzia de grupos armados diferentes. A maior parte desses grupos coopera com a Frente al-Nusra (também conhecida como Hayat Tahrir al Sham).

    A Síria vive uma guerra civil desde março de 2011. As forças do governo são confrontadas por facções armadas da oposição e grupos terroristas. Centenas de milhares de pessoas perderam a vida durante o conflito no país árabe.

    A solução para a crise é buscada em duas plataformas. Uma em Genebra, sob os auspícios da ONU, e outra em Astana (capital do Cazaquistão), com apoio da Rússia, da Turquia e do Irã.

    Mais:

    Paris tem indícios do uso de armas químicas em Idlib, diz chanceler francês
    Enviado americano: EUA não podem confirmar relatos de uso de armas químicas em Idlib
    Defesa russa: Exército sírio elimina mais de 150 terroristas na região de Idlib
    Exército sírio liberta duas aldeias no sul de Idlib da Frente al-Nusra
    Moscou: Frente al-Nusra controla 99% da zona de desescalada de Idlib
    Moscou: terroristas preparam encenação de ataque químico em Idlib
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar