00:29 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    290
    Nos siga no

    A partir do dia 30 de maio entrará em vigor o maior acordo de comércio livre, por sua população, que o mundo tem visto – a Área de Livre Comércio Continental Africana (AfCFTA).

    Recentemente, o Ministério das Relações Exteriores do Egito informou que as 22 ratificações necessárias já foram recebidas, sendo que as duas últimas, de Serra Leoa e da República Saharaui, foram obtidas pela União Africana (UA) no dia 29 de abril.

    O acordo, considerado o maior desde a criação da Organização Mundial do Comércio (OMC) em 1995, foi assinado por 55 países africanos com exceção de três (Benim, Eritreia e Nigéria).

    A ONU disse que se a Nigéria aderir à AfCFTA, o comércio intra-africano poderá crescer mais de 50% nos próximos cinco anos, além de reduzir os direitos aduaneiros sobre 90% dos bens do continente.

    Assim que o tratado comercial comece a valer, ele irá alcançar mais de 1,2 bilhão de pessoas, com um produto interno total de cerca de 3,4 trilhões de dólares, detalha a ONU.

    O presidente de Ruanda, Paul Kagame, classificou o novo acordo como um "novo capítulo na unidade africana".

    "Quando olhamos para as economias africanas neste momento, seu problema é basicamente a fragmentação […] São economias muito pequenas em relação ao resto do mundo. Os investidores têm muita dificuldade em fazer investimentos em grande escala nesses pequenos mercados", afirmou o comissário da UA, Albert Muchanga, adicionando que o continente está se “afastando da fragmentação para atrair investimentos de longo prazo e em larga escala”.

    Em 2012, o projeto da AfCFTA foi aprovado e seus participantes começaram a trabalhar na proposta três anos depois. Mas foi em março de 2018 que os líderes de 44 países africanos aprovaram o acordo em Ruanda.

    Os países-membros do acordo estão alegadamente a ponderar a possibilidade de utilizar uma moeda comum.

    Mais:

    África está prestes a se tornar a maior zona de livre comércio do mundo
    China quer acelerar negociações para criação de área de livre comércio com Japão e Coreia
    Brasil e México assinam acordo de livre comércio para veículos leves
    Tags:
    acordo de livre comércio, zona de livre comércio, África
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar